UCS insere entidades empresariais na gestão do TecnoUCS

Criação de Conselho de Governança e de Conselho Técnico-Científico aproxima empresas e pesquisadores para potencializar atuação do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade

Criado para levar o conhecimento produzido na Universidade de Caxias do Sul para o mercado, em forma de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), conectando academia, setor empresarial e poder público, o Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da UCS (TecnoUCS) passa, agora, a ter todas essas instâncias como participantes de sua gestão. A partir de uma reforma no regimento interno, ficam instituídos o novo Conselho de Governança do TecnoUCS, com a participação de entidades empresariais e Prefeitura, e o novo Conselho Técnico-Científico, que reunirá técnicos e pesquisadores.

Conselho de Governança é composto por sete membros, sendo dois representantes da UCS (o reitor e mais um indicado por ele) e mais um representante cada da Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS); Prefeitura, Instituto Hélice, Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul; e do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e Região (Simecs). A presidência caberá ao reitor.

Além das funções deliberativas, compete ao Conselho de Governança definir as pesquisas que serão prioritárias ao TecnoUCS, assim como os investimentos e recursos a elas atribuídos. A primeira reunião do novo órgão de gestão ocorre nesta semana.

Conselho Técnico-Científico é composto pelo pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, a quem caberá a presidência; pelo coordenador-executivo do TecnoUCS; por quatro pesquisadores indicados pelo reitor; por um membro do Instituto Hélice; e um do Simecs, totalizando oito vagas. Entre suas funções, o órgão deverá sugerir propostas de atuação do parque e apresentar pareceres técnicos e estudos relativos à inovação tecnológica ao Conselho de Governança.

Para o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Juliano Gimenez, o novo modelo potencializa a capacidade de atuação da Universidade e do parque científico-tecnológico. “Como instituição comunitária, entendo que temos duas dimensões de responsabilidades a serem observadas: atender às demandas da sociedade e zelar pela sustentabilidade institucional. Com essa modalidade de governança estamos trazendo a indústria para dentro do TecnoUCS (que é o ambiente de conexão da academia com o setor empresarial), gerando um maior envolvimento entre as partes que possibilita ampliar parcerias, negócios e projetos de pesquisa. Isso significa mais capacidade de atender demandas em desenvolvimento e inovação, refletindo também em maior sustentabilidade”, define.

Instituto Hélice vai se instalar na sede administrativa do TecnoUCS

Surgido em um movimento das Empresas Randon, Marcopolo, Móveis Florense e Soprano para aproximar empresas tradicionais da região e startups, investindo na aceleração de negócios de base tecnológica capazes de apresentar soluções inovadoras para problemas reais do mercado local, o Instituto Hélice ganhou personalidade jurídica e incorporou novas organizações em julho de 2019. Associada à iniciativa por meio do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação, a Universidade de Caxias do Sul agora será também local da sede do instituto, com a locação de um espaço no Bloco 59 do campus-sede, junto à administração do TecnoUCS.

Para o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Juliano Gimenez, a presença física do Hélice na UCS reforça a parceria – e, por consequência, as perspectivas – entre as instituições. “Embora estejamos em um período que redireciona as atuações corporativas por meios remotos, é bastante simbólico que possamos abrigar essa iniciativa junto ao nosso Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação, ainda mais quando o Hélice também se insere como um dos integrantes do novo Conselho de Governança do TecnoUCS”, ressalta Gimenez, destacando o alinhamento dos propósitos e iniciativas de ambas instituições, como o programa de desenvolvimento de negócios inovadores StartUCS e o Programa de Aceleração de Negócios promovido pelo parque.

AVALIAÇÕES

“A parceria entre entidades e o TecnoUCS é um passo fundamental para ampliar as oportunidades de inovação dentro das empresas, o que possibilitará novos negócios para a nossa indústria, além de instigar o aprimoramento de processos e, principalmente, da produtividade das companhias. Sabemos que esse é um modelo que nos permitirá realizar a jornada completa da inovação tecnológica, desde a pesquisa até o lançamento de inovações no mercado. Estamos muito otimistas, pois, sem dúvida, essa parceria irá contribuir para o desenvolvimento econômico de Caxias do Sul e da Serra Gaúcha”, Paulo Spanholi, presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e Região (Simecs)

“Esse modelo, que aproxima universidades e empresas, é a referência do que há de mais desenvolvido no mundo em termos de inovação e empreendedorismo. Com isso, podemos afirmar que a participação de entidades representativas do mercado, como Hélice e Simecs, na governança do parque científico-tecnológico é um movimento muito importante e estratégico para todos, pois coloca, lado a lado, a pesquisa de base da Universidade e a aplicação prática da tecnologia nos negócios. Essa parceria contribuirá para que a região da Serra Gaúcha se posicione como uma referência em inovação no futuro”, Daniel Ely, idealizador e cofundador do Instituto Hélice e CTO das Empresas Randon

“Desde que implementamos o Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação, em 2015, assumimos o compromisso de potencializar a transformação do conhecimento produzido na Universidade, por meio da pesquisa científica avançada, em soluções em forma de produtos, processos e serviços que pudessem ser desenvolvidos pelas empresas e utilizados pelo poder público, gerando benefícios à cadeia produtiva e à sociedade em geral. Nesse meio tempo, nos destacamos em rankings de avaliação de ensino como a Universidade comunitária mais inovadora do Brasil, implantamos nossa unidade produtiva de grafeno e ampliamos os cursos de mestrado e doutorado, entre outros avanços. Assim, essa nova formatação do TecnoUCS é uma forma de consolidar definitivamente essa parceria entre Universidade, Prefeitura, setor empresarial e sociedade para fazer da nossa região uma propulsora da inovação no Estado e no país”, Evaldo Antonio Kuiava, reitor da UCS

Fonte e fotos: Imprensa UCS