Segunda etapa da vacinação contra a influenza começa na quinta-feira

Serão imunizados doentes crônicos, presidiários, forças de segurança e salvamento, caminhoneiros e portuários, entre outros

A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (A-H1N1, A-H3N2 e Influenza B) começa na quinta-feira (16/4). Esta nova fase é destinada a doentes crônicos, pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional, forças de segurança e salvamento, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários. A identificação dos profissionais de segurança fica a cargo da organização de cada município durante a campanha.

Nos municípios do Rio Grande do Sul, esta nova fase começa com a aplicação de 90% das 272 mil doses de vacinas recebidas do Ministério da Saúde no quinto lote deste ano. A próxima remessa será de 284 mil doses, que serão encaminhadas às 19 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) a partir de sexta-feira (17/4).

A última e terceira etapa começa no dia 9 de maio. Os grupos prioritários serão crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), povos indígenas, adultos de 55 a 59 anos de idade, pessoas com deficiência e professores.

Balanço da primeira etapa

Um balanço sobre a primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza no Estado foi feito pelo governador Eduardo Leite, em transmissão pela internet, nesta terça-feira (14/4). Na primeira fase da campanha, 86% do grupo dos idosos já foi imunizado, o equivalente a 1,2 milhão de pessoas. Leite também disse que 84% da população estimada de profissionais de saúde, cerca de 260 mil pessoas, receberam a vacina. No total, 14 de abril, aproximadamente 1,5 milhão de doses já foram aplicadas no RS.

A campanha começou em 23 de março. Idosos que não puderam comparecer nos postos de vacinação na primeira fase ainda podem procurar a vacina nos postos de suas cidades. A secretária da Saúde, Arita Bergmann, avaliou como positiva a grande procura dos idosos pela vacinação. Ela também aprovou o comportamento da maioria das pessoas, que cuidaram o distanciamento e demais atitudes de defesa ao contágio do coronavírus.

Texto: Neusa Jerusalém/Ascom SES
Edição: Secom