Secretário de Segurança faz primeira reunião e anuncia três prioridades

Na primeira atividade como secretário, Cezar Schirmer reuniu na manhã desta segunda-feira (05) a cúpula da Segurança Pública. No encontro, ocorrido no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), o secretário recebeu um diagnóstico dos principais projetos em andamento na pasta e suas instituições vinculadas.

Schirmer recebeu do comandante da Brigada Militar, coronel Alfeu Freitas, e do chefe da Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, um panorama geral das atividades das corporações. A superintendente dos Serviços Penitenciários, Marli Ane Stock, o diretor do Instituto-Geral de Perícias, Cleber Muller, e o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Adriano Krukoski, também traçaram um apanhado de suas áreas.

Segundo o novo secretário, a missão que lhe foi confiada pelo governador José Ivo Sartori engloba três eixos principais: agilizar e superar as dificuldades burocráticas para execução das medidas anunciadas pelo governo do Estado nos últimos dias; ampliar as vagas prisionais, tirando os criminosos das ruas e os colocando nas prisões; e ampliar o policiamento nas ruas para demonstrar que há um enfrentamento na questão da segurança.

“São ações que vamos iniciar imediatamente logo após a posse”, afirmou Schirmer, que pretende unir diferentes setores da sociedade no enfrentamento da criminalidade. “Essa é uma guerra que não é só da Secretaria da Segurança. Para ser vencida, precisamos da soma de todos, da multiplicação dos nossos esforços coletivos e da compreensão de que, se cada um fizer a sua parte, a SSP poderá fazer mais adequadamente as sua competências, as suas atribuições”.

Sobre os registros de assassinatos contabilizados pelas autoridades, Schirmer afirmou que 73,4% das vítimas têm passagem pela polícia e 44,19% dos autores passaram por cadeias administradas pela Susepe. Cinquenta por cento dos homicídios na Região Metropolitana envolvem pessoas que já cometeram, algum crime.

O novo secretário afirmou que irá buscar formas criativas e, com muita inteligência e muita tecnologia, superar essas dificuldades. “Não se muda uma realidade complexa e difícil do dia para a noite, mas ela pode ser mudada”, destacou.

Fonte: SSP-RS