Programa Ater 2021 inicia acompanhamento de 100 famílias de viticultores na Serra Gaúcha

 Mobilização e seleção acontecem com o apoio de entidades e instituições do setor vitivinícola, de pesquisa público e privada, sindicatos rurais e da agricultura familiar, por meio de recursos do Fundovitis

Estão chegando ao final uma série de encontros, iniciados em fevereiro, com entidades e instituições do setor vitivinícola, de pesquisa públicas e privadas, dos sindicatos rurais e da agricultura familiar da Serra Gaúcha, para mobilização e seleção de 100 famílias que serão acompanhadas, até novembro, pelo Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). O Ater 2021 está sendo executado pela Asstec Serra Assessoria Consultoria e Planejamento Ltda, empresa vencedora da licitação, com recursos do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis), o qual é administrado pelo Conselho de Planejamento e Gestão da Aplicação de Recursos Financeiros para Desenvolvimento da Vitivinicultura do Estado do Rio Grande do Sul (Consevitis-RS).

A equipe técnica do Ater está iniciando os atendimentos às famílias nos municípios de Antônio Prado, Nova Roma, Nova Pádua, Flores da Cunha, Caxias do Sul, Farroupilha, Garibaldi, Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Cotiporã e Veranópolis. Oficinas, palestras, dias de campo e intercâmbios técnicos permitem um diagnóstico das propriedades, o que, consequentemente, possibilita um planejamento customizado de ações para a redução de custos e melhoria da rentabilidade, assim como a capacitação permanente e qualificação como apoio para desenvolver visão de futuro.

O Ater tem como finalidade contribuir para o fortalecimento da agricultura familiar e a sustentabilidade econômica, social e ambiental do setor vitivinícola; melhorar a qualidade de produção e/ou aumentar a produtividade nas Unidades de Produção Familiar (UPF); racionalizar e diminuir o uso do agrotóxico; reduzir o custo de produção; aproximar o agricultor dos projetos da indústria; e estabelecer uma dinâmica de apoio e cooperação.

De acordo com o coordenador do Consevitis-RS, Luciano Rebellatto, as ações do Ater são fundamentais para contribuir no dia a dia dos agricultores que dispõe de poucos recursos e necessitam de assistência e em ações como a redução do custo de produção para a sustentabilidade econômica das propriedades. “O Consevitis-RS está empenhado em oferecer um suporte de qualidade para o sucesso dessas 100 famílias”, ressalta.

Dia de Campo: manejo de controle da pérola da terra

O primeiro Dia de Campo, de forma presencial, foi realizado no dia 20 de maio e reuniu um grupo de agricultores de Antônio Prado, Ipê, Caxias do Sul e Flores da Cunha, que receberam orientação a respeito do manejo de controle da pérola da terra, inseto nativo da região.

A propriedade de Valdecir Verdana, em Antônio Prado, foi a área visitada. Amplamente conhecido pelos viticultores, o inseto da pérola da terra se alimenta de alguns açúcares da raiz da videira com maior ênfase na fase de brotação, podendo levar à morte da planta. Agricultores ouviram atentamente as orientações do coordenador técnico da Asstec, Leandro Venturin, que promoveu debate sobre manejos, controles e produção de uva, além de promover uma discussão sobre possibilidades para a redução do custo de produção.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do Consevitis
Foto: Rosângela Longhi / Divulgação