Polo moveleiro de Bento confirma trajetória de crescimento

Crescimento no primeiro trimestre foi de surpreendentes 70%, mas o número é visto com extrema ressalva pelos especialistas do Sindmóveis

A indústria moveleira segue na trajetória de recuperação iniciada a partir do segundo semestre de 2020. O desempenho do primeiro trimestre do ano, compilados esta semana pela Inteligência Comercial do Sindmóveis Bento Gonçalves, ainda reflete um aumento de demanda por mobiliário. Na região de Bento Gonçalves, principal polo moveleiro do país, o faturamento de janeiro a março de 2021 foi de R$ 710,03 milhões, crescimento nominal de 70% em relação ao mesmo período de 2020. É responsável por 28,6% do faturamento do estado.

O percentual de crescimento é extremamente elevado, mas deve ser analisado com cautela, já que o comparativo faz relação com os primeiros meses da pandemia em 2020, sendo março considerado um dos piores períodos da história para a indústria moveleira, com alto patamar de incertezas e restrições de circulação e produção. No RS, o faturamento no período foi de R$ 2,49 bilhões, crescimento nominal de 54,6% em relação ao mesmo período de 2020.

O presidente do Sindmóveis, Vinicius Benini, salienta o caráter atípico dos números verificados e acrescenta outros dois fatores que recaem sobre o desempenho além da inconsistência de comparação com o primeiro trimestre de 2020: o desabastecimento de matérias-primas no ano passado e posterior elevação no preço dos insumos. Havia pedidos parados que transbordaram para esse ano com custo muito acima do habitual, o que refletiu diretamente no valor faturado em reais, mas não necessariamente representa um crescimento real.

“O cenário é positivo, sim, mas exige muitas ressalvas. O Sindmóveis sempre manteve transparência ao apurar e divulgar o desempenho do setor, mas cabe salientar que os índices dessa vez claramente não representam uma lucratividade maior do segmento, que já trabalha com margens cada vez mais deprimidas”, pondera.

Empregos

Na região de Bento Gonçalves, entre janeiro e março de 2021, a variação no número de empregos diretos da indústria de móveis é positiva, com crescimento de 3,6% em relação ao fechamento de 2020. O saldo positivo é de 224 empregos, com um total de 6.391 empregos diretos no momento. Já no RS, o crescimento foi de 4,3% em relação ao fim do último ano, encerrando o trimestre com um saldo positivo de 1.505 vagas e geração total de 36.679 empregos diretos.

Além de recuperar os patamares pré-crise, a indústria moveleira segue gerando empregos e se coloca como um dos destaques entre todos os segmentos industriais.

Exportações

De acordo com o portal ComexStat, as exportações de móveis da região de Bento Gonçalves foram de US$ 12,6 milhões no primeiro trimestre desse ano, crescimento de 33,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Os principais destinos foram Estados Unidos, Uruguai, Chile, Peru, Reino Unido, Colômbia, Arábia Saudita, México, Equador e Bolívia. O estado exportou US$ 54,5 milhões de janeiro a março, aumento de 35,5% ante igual período de 2020. Os destinos gaúchos melhor colocados são Estados Unidos, Peru, Chile, Uruguai, Reino Unido e Paraguai.

Fonte: Assessoria de imprensa Sindmóveis