Polícia Civil elucida caso de estupro de adolescente em Garibaldi; morador de Bento está preso

A Polícia Civil de Garibaldi elucidou o caso de estupro de uma adolescente, ocorrido no último dia 21 de setembro, no município. Após a análise de horas de imagens de câmeras de segurança de residências e estabelecimentos comerciais localizados na região onde mora a vítima, a polícia não tem dúvidas da autoria do crime.

Conforme informações, no final da sexta-feira dia 1º de outubro, policiais civis da Delegacia de Polícia de Garibaldi, sobre o comando do delegado titular, Clóvis Rodrigues de Souza, em diligências complementares na cidade de Bento Gonçalves, efetuaram a prisão de um homem de 41 anos de idade, que seria pastor e residente em Bento, cumprindo decreto de prisão temporária de 30 dias expedidos pela justiça da Comarca de Garibaldi sendo o mesmo encaminhado à Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves.

Ele é investigado pela prática de crime de estupro de vulnerável ocorrido no dia 21 de setembro em Garibaldi. No dia, tão logo a Polícia Civil tomou conhecimento do crime, houve deslocamento de policiais até a residência da vítima e, em diligências, preliminarmente apurou-se a participação no fato de um veículo Ford/Focus de cor escura, sem maiores detalhes.

Após trabalho em residências e estabelecimentos comerciais próximos ao local do fato, foi feito a busca de eventuais imagens deste automóvel em câmeras de segurança da região, sendo posteriormente identificado o veículo e o seu condutor. No dia do fato, foi possível se reproduzir seu completo deslocamento após a saída do local onde o fato ocorreu, e verificou-se que o mesmo veículo já havia passado outras vezes em frente à residência da vítima.

O que foi determinante para a elucidação do crime foram a paciência e técnicas investigatórios da Polícia Civil, já que foram necessárias muitas horas de visualização de imagens obtidas em câmeras de segurança instaladas em diversos lugares da região. Com a conclusão do inquérito policial instaurado, haverá representação pela decretação da prisão preventiva do investigado.

A Polícia Civil frisa ainda que desde o fato, a vítima foi atendida por profissionais do Pravivis – Programa de Atendimento de Vítimas de Violência Sexual, no Hospital Beneficente São Pedro, assim como outros serviços que fazem parte da rede de apoio do município.

Fonte e imagens: Polícia Civil

(KPJ)