Nova previsão sobre a regulamentação da Lei Aldir Blanc é entre 6 a 10 agosto

Nesta terça-feira, 4, ocorreu a terceira reunião aberta online do Conselho Municipal de Cultura (CMPC). Desde que a Lei Aldir Blanc foi sancionada pelo Presidente Jair Bolsonaro, o Conselho vem informando a comunidade cultural sobre as atualizações da operacionalização dos recursos no âmbito municipal que são estimados em R$ 820 mil.

O secretário de Cultura, presidente da Fundação Casa das Artes e presidente do Conselho dos Dirigentes Muncipais de Cultura (Codic), Evandro Soares, trouxe duas informações importantes as quais foram divulgadas durante a primeira live realizada pela Secretaria Estadual de Cultura durante a 5ª Conferência Estadual de Cultura: “a regulamentação da Lei Aldir Blanc é esperada entre os dias 6 a 10 de agosto. A secretaria estadual da Cultura, Beatriz Araujo, sinalizou a abertura da plataforma para os cadastros do Estado para a próxima segunda-feira”.

Ainda, foi debatido os mecanismos do mapeamento: “o mapeamento cultural já está acontecendo há quinze dias. Poucas entidades realizaram o registro e precisamos fortalecer a busca ativa. Precisamos envolver as pessoas para que possamos criar multiplicadores. A comunidade cultural é muito ampla e a lei Aldir Blanc ampara todos os trabalhadores da cultura, sem distinção. O suporte público precisa chegar a todos e para que isso aconteça precisamos eliminar qualquer barreira que faça com que alguém se sinta à margem do processo”, observa o presidente da CMPC, Vinícius Nardi.

Essa ação também é a compartilhada por Aline Zili, presidente do Conselho de Políticas Culturais de Caxias do Sul: “mudamos a nossa forma de pensar de como chegar a comunicação em lugares não muito óbvios e periféricos. Sabemos de situações de trabalhadores culturais que já venderam seus instrumentos de trabalho e estão no esgotamento de sua vida financeira. Então, neste primeiro momento é preciso que a informação chegue mais clara possível a quem realmente precisa”.

Nardi apresentou o pré cadastro e o documento orientador para discussão de proposição do CMPC ao uso de recursos emergenciais à classe cultural para que a sociedade civil colabore na construção com sugestões.

A reunião contou com a presença da presidente do Conselho Municipal dos Povos de Matriz Africana, Mãe Lisi.

Assessoria de Comunicação Social