Foi correto fechar em março? Ex-secretário de saúde de Bento comenta o cenário

Os mais de 130 dias da declaração da OMS (Organização Mundial da Saúde) de pandemia mundial em razão do novo coronavírus continuam proporcionando a busca de respostas pelas etapas vivenciadas pela população. Além da continuidade do crescimento de casos como no Rio Grande do Sul e exponencialmente em Bento Gonçalves, um elevado número de óbitos (58) tem intrigado a comunidade.

Em meio a estação inverno, o questionamento neste instante tem sido se foi ou não correto o fechamento das atividades em 15 de março, quando estourou a pandemia, sabendo que as baixas temperaturas viriam mais adiante.

A Rádio Difusora por este motivo solicitou uma entrevista com Diogo Siqueira, ex-secretário de Saúde da Prefeitura, que deixou o cargo há 45 dias.

Ele entende que o fechamento das atividades foi correto naquele período e que “é muito fácil agora olhar para trás. No início ninguém sabia a gravidade e se teríamos condições de atender todo mundo”.

Salientou o aumento de leitos como fundamental – como no Hospital Tacchini e a estrutura montada junto a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) – além de criticar o Modelo de Distanciamento Controlado do Governo do Estado.

“Não está funcionando. É difícil implementar pois agora não tem mais eficácia. As pessoas não aguentam mais ficar em casa e precisam trabalhar”, acrescentou.

Siqueira comentou que a proliferação de casos ocorreu principalmente por surtos na indústria moveleira e em frigoríficos, que colaboraram para disseminação e ampliação de pessoas infectadas.

Veja a entrevista gravada no decorrer desta semana:

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora