Enólogos são homenageados pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Bento Gonçalves

Há 60 anos a primeira turma de estudantes do Curso Técnico de Viticultura e Enologia plantou um carvalho no espaço que hoje pertence à Embrapa Uva e Vinho; lá, funcionaram as três primeiras turmas da Escola de Viticultura e Enologia de Bento Gonçalves. Sob o carvalho plantado há 60 anos foi descerrada uma placa alusiva à data de inauguração do IFRS, campus Bento Gonçalves e foi feita uma homenagem aos enólogos pelo seu dia.

Para José Fernando da Silva Protas, chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho: “este evento resgata uma parte importante da história da vitivinicultura na dimensão da educação, da pesquisa e da inteligência de um setor que tem uma origem fortemente vinculada à tradição dos imigrantes. Essas instituições como a Escola de Enologia, hoje Instituto Federal, voltadas à formação profissional e técnica dos profissionais que atuam na vitivinicultura, seja na viticultura ou na enologia, são referências e, por isso, a importância em registrar datas como o aniversário de 60 anos da formação da primeira turma. E para nós da Embrapa, a comemoração assume um caráter especial ao reconhecermos e compartilharmos esse significativo espaço”.

Soeni Bellé, diretora do campus de Bento Gonçalves do IFRS destacou a parceria entre as duas instituições na formação de profissionais e desenvolvimento de pesquisas e fortalecimento do setor vitivinícola. “No início, essas duas instituições eram ligadas ao Ministério da Agricultura, apesar de hoje estarmos afiliados ao Ministério da Educação e a Embrapa ao Ministério da Agricultura; temos muitos objetivos em comum no fortalecimento da vitivinicultura e fruticultura, bem como da sociedade. Também queremos homenagear os primeiros enólogos formados, fazendo com isso um resgate da história”.

Firmino Splendor, aluno do primeiro curso de Viticultura e Enologia há 60 anos, professor aposentado do IFRS Campus Bento e presidente fundador da Associação Brasileira de Enologia (ABE), que ajudou a plantar o carvalho em 1959 e idealizou a cerimônia, destacou que a contribuição dos enólogos ajudou a melhorar a qualidade da uva produzida e do vinho elaborado no Brasil.

Para Daniel Salvador, presidente atual da ABE “o carvalho se apresenta como fruto da educação e hoje estamos fazendo história, eternizando o início da enologia e viticultura acadêmicas. Uma avalanche que os jovens Firmino Splendor e João Vignati estabeleceram”.

No final foi servido um coquetel com produtos elaborados pelo IFRS campus Bento. Estiveram presentes na ocasião a diretora do Instituto Federal do Rio Grande do Sul – campus Bento Gonçalves, Soeni Bellé, o chefe geral da Embrapa Uva e Vinho, José Fernando da Silva Protas, o presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), Daniel Salvador, Firmino Splendor e João Vignati alunos da primeira turma do curso de Viticultura e Enologia, além de ex-diretores do campus Bento do IFRS, coordenadores dos cursos de Viticultura e Enologia, professores, estudantes, funcionários do IFRS e familiares além de representantes da Embrapa Uva e Vinho.

Fonte e fotos: Embrapa Uva e Vinho