Embrapa de Bento participa da primeira auditoria de Produção Integrada de Uva para Processamento

Ocorreu no dia 24 de outubro, a primeira auditoria da Produção Integrada de Uva para Processamento – PIUP na vinícola Ravanello, em Gramado, RS. A Vinícola havia participado do processo de validação das Normas da PIUP a partir de 2014 e, desde então, já vinha adotando o sistema PIUP. Nesse momento, foi realizada auditoria para a etapa campo, cujo processo está a cargo do Certifica Instituto de Qualidade e, em fevereiro de 2018 o processo de certificação deverá ser concluído por ocasião da realização da auditoria na etapa indústria.

O processo de auditoria na etapa campo iniciou com uma reunião de abertura, na qual, após as devidas apresentações, iniciou-se uma conversa entre a equipe do Certifica e os representantes técnicos e gerenciais da vinícola. Nessa conversa, os itens do check list do sistema PIUP foram todos abordados. Na sequência, foi realizada uma visita ao vinhedo da empresa e às instalações pertinentes aos itens do check list da etapa campo, permitindo, assim, a checagem dos mesmos. Após esta etapa, foi realizada a reunião somente da equipe auditora, para, na sequência, comunicar aos representantes da empresa os resultados da auditoria, onde foram mencionados os pontos fortes da empresa e os itens de não conformidades que precisam ser corrigidos até a realização da próxima auditoria, em fevereiro de 2018.

A Instrução Normativa N° 42 de 09 de novembro de 2016, publicada no Diário Oficial da União em 14/11/2016, trás as Normas Técnicas Específicas (NTE) para mais 13 culturas agrícolas – arroz, trigo, uva para processamento, amendoim, feijão, flores e plantas ornamentais, tomate de mesa tutorado, gengibre, inhame, taro, graviola, atemóia e pinha – O Sistema PIUP é regulamentado pela Instrução Normativa N° 42 de 09 de novembro de 2016, publicada no Diário Oficial da União em 14/11/2016, a qual trás as Normas Técnicas Específicas (NTE) para 13 culturas agrícolas – arroz, trigo, uva para processamento, amendoim, feijão, flores e plantas ornamentais, tomate de mesa tutorado, gengibre, inhame, taro, graviola, atemóia e pinha -. O INMETRO, como órgão acreditador do Sistema da Produção Integrada no Brasil, realiza uma avaliação testemunha para cada nova Norma Técnica publicada pelo MAPA e escolheu a PIUP nesse caso. Dessa forma, a auditoria na Vinícola Ravanello, além da equipe de auditores do organismo certificador, o Certifica Instituto de Qualidade, contou com a presença dos avaliadores da Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro (Cgcre).

Participaram da equipe auditora: Sérgio Torres da Silva (ST – auditor líder); Nede lande Vaz da Silva (NL – auditor e especialista). Da equipe avaliadora do CGCRE: Altamiro de Oliveira Filho (avaliador filho) e Emilio Bocchino (especialista). Como observadores: Samar Velho da Silveira (Presidente da Comissão Técnica PIUP) e Rafael Batista Zortea (Treinando do CGCRE).
Cumprindo a programação para atingir um nível de excelência ainda maior, neste ano a vinícola Ravanello pretende certificar os vinhos produzidos com uvas próprias, das cultivares Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay e, a partir do ano seguinte, estender a certificação para as uvas dos seus fornecedores em Santana do Livramento, Encruzilhada do Sul e Vacaria, para as cultivares Tannat, Teroldego e Pinot Noir.

A produção de uva para processamento é um importante segmento gerador de emprego e renda no país, capaz de fornecer um produto – suco, vinho e espumante – com valor agregado. Prova disso é que, segundo dados do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin, 2014), exporta-se vinhos e espumantes para 40 países, destacando-se, em valores monetários, o Reino Unido, a Bélgica, o Paraguai, a Alemanha, os Países Baixos (Holanda), os Estados Unidos e o Japão. O mercado externo é um importante referencial de imagem, embora grande parte do produto brasileiro seja destinado ao mercado nacional.

Essa condição só foi alcançada devido ao desenvolvimento de tecnologias de ponta no Brasil. Todavia, devido ao rigor crescente do mercado externo em relação a produtos de qualidade, em conformidade com os requisitos da sustentabilidade ambiental e da segurança do alimento, mediante a utilização de tecnologias não-agressivas ao meio ambiente e à saúde humana, temos o grande desafio de desenvolver e adotar sistemas de produção que, ao mesmo tempo, atendam a essas exigências e permitam boas produtividades.

A adoção do sistema da Produção Integrada (PI) de parte dos viticultores e vinícolas, é uma forma segura de vencer esses desafios. A Produção Integrada de Uva é definida como a produção econômica de uvas de alta qualidade, dando prioridade a métodos seguros do ponto de vista ecológico, os quais minimizam os efeitos secundários nocivos do uso de agroquímicos, de modo a salvaguardar o ambiente e a saúde humana (OILB, 1999).

Além disso, a PI surgiu para atender, também, à sustentabilidade social e à rentabilidade da produção, tornando o produtor mais competitivo em um cenário de economia globalizada e mercados exigentes em qualidade e segurança do alimento.

Fonte: Dr. Samar Velho da Silveira  / Pesquisador Embrapa Uva e Vinho / Presidente da Comissão Técnica P.I. Uva para Processamento