Crescem negócios em Bento com o programa Minha Casa, Minha Vida

O Programa Habitacional Minha Casa, Minha Vida, registrou um incremento de vendas de imóveis nesta categoria em Bento Gonçalves, conforme o último Censo Imobiliário 2017. Os dados referem-se a análise de agosto de 2016 até agosto de 2017. De 43% do valor venal dos imóveis em levantamento anterior, o dado agora subiu para 51%. Ou seja, estão enquadradas na categoria econômica, abaixo de R$ 170 mil.

Andrey Arcari, que acabou de deixar a presidência da Ascon Vinhedos, define que o programa “Minha Casa, Minha Vida, sempre teve muita importância em nossa entidade. Por isto sempre quisemos ampliar o teto, estas unidades tem relevância muito grande”, destacou.

Estima-se somente em nível de Brasil, um incremento de 20% em negócios envolvendo esta modalidade oferecida pelo governo em 2017. A retomada do teto, que estava em R$ 145 mil na fase 2, e com reajuste em fevereiro deste ano passou de R$ 160 mil para R$ 170, são outros motivos que auxiliaram a movimentar o setor.

Rodrigo Canani Medeiros, superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF), define como “o grande programa Habitacional do País neste momento. Por Por conta do subsídio, por conta de atingir uma parcela da população que tem mais carência de imóvel, se tornou um programa imprescindível”, afirmou.

Lançado em 2009, no segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Minha Casa, Minha Vida tornou-se referência na busca da primeira habitação. Saiba mais aqui

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora