CPI dos Medicamentos realiza visitas técnicas em hospitais da Serra

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o aumento de preços de medicamentos utilizados no tratamento da Covid-19 no Rio Grande do Sul realiza, nesta quinta (5) e sexta-feira (6), visitas técnicas a hospitais da serra gaúcha. Em Caxias do Sul, a visita se dará nesta quinta, nos hospitais Geral e Pompéia, às 15h e 16h30, respectivamente. Pela manhã, será visitado Hospital Tacchini, no município de Bento Gonçalves. Ao final da tarde, o Hospital Beneficente São Carlos, no município de Farroupilha. Na sexta-feira pela manhã, será realizada a visita técnica do Hospital Nossas Senhora de Oliveira, na cidade de Vacaria.

A CPI, presidida pelo deputado estadual Dr. Thiago Duarte (DEM), vem desde abril deste ano ouvindo gestores de instituições de saúde de todo o estado do Rio Grande do Sul. Já foram 16 Reuniões Ordinárias Virtuais da CPI, 231 requerimentos aprovados, 61 oitivas transmitidas ao vivo pela TVAL e 33 visitas técnicas realizadas a hospitais.

Em 31 de maio, foram ouvidos os representantes dos hospitais de Caxias, que serão visitados nesta quinta. Os depoimentos apontam para o desequilíbrio financeiro dos hospitais decorrente do contexto da pandemia.

Em depoimento em reunião virtual da CPI o diretor financeiro do Hospital Pompéia, Diego Berenstein afirmou que a instituição enfrentou aumento exagerado de preços, especialmente de anestésicos, relaxantes neuromusculares e luvas de cirúrgicas. Berenstein afirmou o medicamento Atracúrio teve uma variação de preços de 126% em relação aos valores praticados antes da pandemia, e a Morfina uma variação de 529%, isto em um ano. Para evitar o desabastecimento a instituição recorreu à importação de medicamentos da Argentina e da Índia.

No Hospital Geral as dificuldades são semelhantes. O diretor-geral Sandro Junqueira afirmou que em nenhum momento os estoques de itens do Kit Intubação chegaram a acabar totalmente, mas que foi preciso fazer empréstimos com outros hospitais para garantir o atendimento. Junqueira revelou que a instituição registrou um déficit de R$ 1 milhão nos dois meses anteriores ao depoimento na CPI.

“O grande objetivo da CPI é poder ouvir os gestores dos hospitais, punir os envolvidos e evitar que tenhamos esse abuso novamente. Também queremos construir junto com os demais deputados uma legislação para proteger os hospitais”, ressaltou o presidente da CPI, o deputado estadual Dr. Thiago Duarte.

Fonte: Agência de Notícias