Bento: tráfico de drogas poderá acabar vitimando pessoas inocentes, diz delegado

O delegado Marcelo Ferrugem, titular da Delegacia de Polícia de Carlos Barbosa, atualmente respondendo pela 1ª Delegacia de Polícia de Bento Gonçalves (1ª DP), conversou com a imprensa nesta terça-feira, dia 6, sobre prisões relacionadas ao tráfico de drogas. Ferrugem comentou sobre uma análise realizada conjuntamente entre a Polícia Civil de Bento Gonçalves e demonstrou grande preocupação com a reiterada concessão de liberdade provisória a quem comete esse tipo de crime.

Há necessidade de uma atenção maior e mais cuidadosa com o crime de tráfico de drogas. Há uma banalização do crime. No primeiro semestre de 2020 nós tivemos 50 indivíduos presos, uma média de dois por semana ou um preso a cada três dias. Quando passamos para o segundo semestre, em menos da metade do mesmo período, se comparado ao semestre anterior, nós já superamos o número de prisões dos primeiros seis meses. E a preocupação aumenta quando vemos os indíces e constatamos que em torno de 50% a 60% desses indivíduos já se encontra em liberdade. Alguns deles presos em mais de uma oportunidade no período. Isso acaba dificultando não só o trabalho de prevenção por parte da Brigada Militar, mas também de investigação e persecução penal por parte da Polícia Civil. Há uma falha no processo e eu atribuo essa falha a reiterada concessão de liberdade provisória“, disse.

O delegado também afirmou que dos 23 homicídios registrados no município em 2020, todos foram motivados pelo tráfico de entorpecentes.

Hoje 100% dos homicídios em Bento Gonçalves são motivados pelo tráfico de drogas. E aí vem a disputa por territórios entre facções, ameaças que estão acontecendo entre os grupos criminosos, enfim. Isso vai acabar vitimando pessoas inocentes“, pontua.

Assista o vídeo: 

Confira alguns números: