Bento Gonçalves retoma júris com caso de tentativa de feminicídio

A partir do retorno  gradual ao trabalho presencial na maioria das 164 comarcas do estado, as varas do júri reabriram as agendas para a marcação e realização de sessões de julgamento.

Em Bento Gonçalves, o primeiro júri desde o começo da pandemia da Covid-19 aconteceu na semana passada, dia 30, presidido pela Juíza de Direito Fernanda Ghiringhelli de Azevedo. A cerimônia foi realizada sem a presença de público, por segurança sanitária, e os jurados foram colocados nos assentos comumente destinados à plateia no Salão do Júri do prédio do Foro.

No banco dos réus, Paulo Cesar Correa, que foi condenado pela tentativa de matar a ex-companheira, Roberta, em março do ano passado, ao atacá-la com uma faca. A pena foi fixada pela magistrada em 11 anos e quatro meses de reclusão, no regime inicial fechado.

Os sete jurados levaram em conta as agravantes do crime, motivo torpe e feminicídio. Na ocasião, conforme descreveu a denúncia, Paulo esperou Roberta à saída do trabalho dela para conversarem sobre um possível reatamento da relação. Inconformado com a resposta negativa, Paulo desferiu quatro golpes com o objeto cortante (lâmina de 18cm) no peito e no abdômen da mulher.

Atuou pela acusação o Promotor Público Eduardo Só dos Santos Lumertz e, na defesa do acusado, o Defensor Público Rafael Carrard.

Fonte: TJRS

Foto: Comarca de Bento Gonçalves