Beatificação do padre João Schiavo atrai milhares de fiéis em Caxias do Sul

Emoção e religiosidade marcaram a Santa Missa e o Rito de Beatificação do padre João Schiavo em Caxias do Sul, na manhã deste sábado (28). Milhares de fiéis vindos de várias cidades gaúchas, de outros estados e até do exterior acompanharam a cerimônia presidida pelo representante do Papa Francisco, o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato. O culto que declarou o padre beato aconteceu nos Pavilhões da Festa da Uva, e foi prestigiado pelo governador José Ivo Sartori e a secretária do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori.

O evento religioso foi organizado pela Diocese de Caxias do Sul, Congregação dos Josefinos de Murialdo e a Congregação das Irmãs Murialdinas de São José, junto com a Associação do padre João Schiavo. O rito de beatificação teve início com o bispo diocesano de Caxias do Sul, Dom Alessandro Ruffinoni, em nome de todos os bispos presentes, pedindo ao cardeal que Schiavo fosse inscrito como beato, e seguiu-se com uma apresentação do religioso.

O auge da celebração foi a leitura da Carta Apostólica em latim pelo Cardeal Amato, assinada pelo Papa Francisco, proclamando padre João Schiavo Bem-Aventurado. Depois houve o descerramento da imagem que retrata o novo beato, ao som do hino de louvor. O rito se encerrou com a procissão da Relíquia do Beato, exposta no altar onde foi incensada e venerada. A cerimônia contou com exibição da Orquestra da Universidade de Caxias do Sul e do Coral de Beatificação.

Grupos de várias cidades e países assistiram a cerimônia. Segundo os organizadores da Argentina e do Chile, onde há a presença dos Josefinos e Murialdinas, são cerca de 160 pessoas, 34 devotos do Equador e da Itália, mais um grupo de 31 pessoas, incluindo nove parentes do padre. Além da multidão de fiéis, contabilizam-se 180 sacerdotes, entre padres, bispos e arcebispos.