Agrotóxico é responsável pela mortandade de abelhas em Monte Belo do Sul, acredita Arpa

Um morador da Linha Fernandes Lima, em Monte Belo do Sul, criador de abelhas africanas vem notando há alguns dias a mortandade dos animais.

Ele encaminhou algumas imagens para a Rádio Difusora, ilustrando o fato. Em contato com o fiscal da Associação Riograndense de Proteção aos Animais (Arpa), Jorge Acco, ele atribui o evento a utilização de agrotóxicos.

Esse evento tem acontecido com frequência. Estamos recebendo diversas denúncias de mortandade de abelhas de várias espécies. Constatamos que isso se dá por uma utilização de agrotóxicos inadequada e muitas vezes agrotóxicos que não podem ser utilizados, produtos que estão sendo trazidos de outros países, de origem duvidosa“, explica.

Acco ressalta que são apenas algumas pessoas que se utilizam do material, que muitas vezes é ineficaz para a agricultura.

As vezes, alguns agricultores ou até empresários acabam comprando produtos mais baratos que são em sua maioria ineficazes para a agricultura e muito malignos para a natureza, principalmente para alguns animais, como as abelhas, e prejudiciais aos cursos de água.”

Pontuando a situação em Monte Belo do Sul, Acco explica que “o que tem acontecido em Monte Belo é a utilização desse agrotóxico que geralmente é um produto para combater insetos como a formiga e com aplicação no chão. Alguns agricultores utilizam junto com os defensivos no pulverizador e acabam atingindo flores e plantas. Como consequência: a mortandade de insetos e das abelhas.”

Por fim, o fiscal reforça a atuação da Arpa e a importância da denúncia. “Estamos trabalhando nesses casos, identificando produtos e possivelmente haverá abertura de inquérito policial nessa questão. É muito importante que as pessoas denunciem para que seja realizado o trabalho de fiscalização e identificação do crime ambiental. Também é possível contatar a Emater e a Inspetoria Veterinária Estadual para possível recolhimento de material para análise”, pontua.

Dúvidas sobre produtos podem ser sanadas junto a Emater, ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais e até mesmo nas cooperativas.

Fonte: Central de Jornalismo da Rádio Difusora

Foto: Especial Rádio Difusora