25 de julho: carreata homenageia os colonos e os motoristas em Bento

Neste domingo, dia 25, em comemoração ao Dia do Colono e do Motorista, ocorreu uma carreata que iniciou na Igreja São Roque, percorrendo as principais ruas de Bento Gonçalves, com término na Igreja São Cristóvão, no bairro Vila Nova.

O ato tem o objetivo de homenagear esses dois segmentos da sociedade que são muito importantes visto que são eles que movimentam a economia das cidades, estados e países. Além da carreta houve a benção dos motoristas, com o parde Luis Conci, da Paróquia Santo Antônio, que ainda celebrou uma missa na Igreja São Cristóvão.

Os colonos produzem em suas terras o alimento que vai para as mesas e, os motoristas, fazem o escoamento desses alimentos para todos os cantos do país. Não somente dos alimentos, mas também de muitas outras cargas. Além disso, arriscam as vidas nas estradas, dia e noite, para que cada um possa receber o seu sustento.

Origem do Dia do Colono

A data de 25 de julho foi instituída como Dia do Colono em 1968, com a criação da Lei Federal 5.496, em cinco de setembro daquele ano, porém, a data já era conhecida, pois desde 1924, quando estavam ocorrendo as comemorações do centenário da vinda dos alemães para o Rio Grande do Sul, a data foi reconhecida e usada para celebrar os colonos, principalmente os alemães.

A história dessa data destaca a chegada dos primeiros alemães, que em 18 de julho de 1824, vieram para se instalar no Brasil, desceram em Porto Alegre, sendo recebidos muito bem pelos governantes da época. Logo após, em 25 de julho, realizaram o que seria o primeiro culto evangélico do Estado, tornando a data um marco para a região, ampliando a cultura religiosa, antes regida apenas pelo catolicismo e religiões indígenas.

Origem do Dia do Motorista

O Dia do Motorista é comemorado no Dia de São Cristóvão, santo católico considerado o padroeiro dos motoristas no Brasil. Cristóvão significa “aquele que carrega Cristo”. De acordo com a lenda, São Cristóvão queria servir o rei mais poderoso da Terra e decidiu venerar o Diabo. No entanto, durante uma viagem, conheceu um ermitão que mostrou ser Jesus Cristo o “Rei dos Reis” e a entidade com mais poder no Universo. Cristóvão abandonou a vida de luxos e maldades para seguir a “Palavra de Cristo”.

Trabalhou durante muito tempo transportando pessoas nas costas para que pudessem atravessar um rio. Certa vez, segundo a lenda, Cristóvão colocou um menino nas costas e a cada passo que dava, o seu peso ia aumentando. Cristóvão disse: “Parece que estou carregando o mundo nas costas”, então o menino respondeu: “Tiveste às costas mais que o mundo inteiro. Transportaste o Criador de todas as coisas. Sou Jesus, aquele a quem serves”.

Assim, passou a ser conhecido como o protetor e padroeiro dos viajantes e motoristas.
O Decreto nº 63.461, de 21 de outubro de 1968, oficializa o dia 25 de julho como o “Dia do Motorista” no Brasil.

Central de Jornalismo \ Unidade Móvel Difusora