Voluntários do grupo de teatro da Encenação da Paixão de Cristo realizam vigília no Morro da Cruz do Salgado

Membros do grupo de voluntários do teatro da Paróquia Santo Antônio, responsável pela produção e realização da tradicional Encenação da Paixão de Cristo do Morro da Cruz do Salgado, realizaram nesta sexta-feira Santa, dia 2 de abril, uma vigília no local da encenação, que neste ano, devido a pandemia, não pode ser realizada.

Alguns voluntários realizaram uma vigília de cerca de doze horas, junto às cruzes, utilizadas nas encenações. O padre Luís Conci, responsável pela programação da encenação nos últimos anos, destacou que o objetivo do ato é celebrar a Paixão de Cristo, mesmo sem a possibilidade de realizar a encenação.

A programação da Paróquia Santo Antônio, nesta Sexta-Feira Santa, iniciou as 9h, com a Oração a Via Sacra e seguiu com a Celebração da Paixão do Senhor as 15h, ambas as celebrações tiveram a transmissão da Rádio Difusora 890 AM, e encerrará com a Via Dolorosa da cidade, as 18h.

História

A história da Romaria ao Morro da Cruz do Salgado está ligada à história da imigração italiana na região de Bento Gonçalves. Os imigrantes chegaram na antiga Cruzinha, depois Colônia de D. Isabel e finalmente Bento Gonçalves a partir de 1875. No ano de 1899 foi cravada a Cruz de madeira, de aproximadamente 4 (quatro) metros de altura, ao lado de um marco que o agrimensor Pedro Salgado identificou como sendo o ponto mais alto de Bento.

Em 1976, Pe. Oscar Bertholdo instituiu a Romaria Motorizada à Cruz do Salgado. Também, a partir desta data foi introduzida a Bênção das ervas medicinais e da Macela (ou marcela), uma vez que na tradição popular esta deve ser colhida antes do nascer do sol da sexta-feira santa. Em 2004, a Paróquia oficializou a Romaria ao Morro da Cruz do Salgado.

Central de Jornalismo Difusora