Viticultores são capacitados no PAS – Uva para Processamento em Bento

Produtores2

Dez vinícolas e 171 produtores rurais receberam nesta terça-feira, dia 4, as declarações de implantação do Programa Alimentos Seguros (PAS) – Uva para Processamento. Os participantes foram capacitados nos módulos de Boas Práticas Agrícolas (BPA) e de Elaboração (BPE) no ciclo 2017-2018. A entrega dos documentos aconteceu no 1º Seminário do PAS – Uva para Processamento, na Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves.

Desde a implantação das primeiras turmas de BPA e BPE, em 2013, mais de 800 viticultores e 100 empresas foram capacitadas no Rio Grande do Sul. Atualmente, no ciclo 2018-2019, mais de 200 viticultores gaúchos estão participando do programa.

De acordo com Alexandre Hoffmann, pesquisador da Embrapa “um princípio básico das boas práticas é que elas devem estar baseadas no melhor conhecimento disponível, alinhado à segurança do alimento, incorporando aos sistemas de produção as tecnologias capazes de minimizar os riscos à saúde do consumidor. E isso depende de ciência, pesquisa, desenvolvimento e tecnologia”, afirma. Hoffmann foi um dos pioneiros a apoiar o atendimento a demandas das cadeias produtivas e dos governos na análise de risco, na prevenção de entrada de novas pragas e doenças e em estudos de base capazes de evitar que alimentos sem a devida segurança cheguem à mesa dos consumidores.

“O PAS foi criado para atender demandas exigidas pela legislação, reduzir os riscos de contaminação de produto, do trabalhador e do meio ambiente e implantar rastreabilidade”, explica Janine Basso Lisbôa, coordenadora do projeto gerenciado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), com execução do Senar/RS e Sebrae/RS.

Seminário promove troca de experiências

A união de esforços do Ibravin, Sebrae, Senar, Senai e Embrapa Uva e Vinho viabilizou a realização do 1º Seminário do Programa Alimentos Seguros (PAS) – Uva para Processamento. O encontro registrou três palestras, além da entrega das declarações de implantação dos módulos BPA e BPE do PAS – Uva para Processamento.

As explanações foram realizadas pelo executivo José Eduardo Brandão Costa, da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas) e Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que apresentou um panorama sobre a redução de resíduos e rastreabilidade na fruticultura.

A legislação referente ao uso de agrotóxicos foi abordada pelo engenheiro agrônomo Rafael Friedrich de Lima (Seapi/RS) e as normas da produção integrada por Marcus Vinicius de Miranda Martins (Depros/SMC e Mapa).

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora com informações da Embrapa Uva e Vinho