Vendas do varejo gaúcho reagem nos dois primeiros meses de 2017

307561_687617_marcelo_matusiak__22_

Os dois primeiros meses de 2017 mostraram uma reação das vendas do varejo gaúcho, de acordo com análise da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS. A entidade associativista observou um incremento entre 1,5% e 3% na comparação com janeiro e fevereiro de 2016, fruto de um lento processo de reaquecimento do poder de consumo no estado.

O presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, aponta que esses indicadores avaliam o varejo restrito, que não inclui as atividades de material de construção e veículos, motos, partes e peças, que ainda estão buscando a recuperação das vendas. O dirigente salienta que o início de 2017 está sendo um pouco mais promissor para os lojistas gaúchos, trazendo um fôlego renovado após dois anos (2015 e 2016) de desempenho negativo no volume de vendas.

– O crescimento que o estudo, realizado pela FCDL-RS mostrou, se originou de um incremento das vendas na região litorânea, com o período das férias de verão tendo contribuído fortemente para tal. Além disso, setores como artigos farmacêuticos, vestuário, calçados e combustíveis tiveram uma melhora importante na sua comercialização. Ainda estamos longe de um cenário que gostaríamos de observar, ou seja, de plena recuperação do poder de compra dos gaúchos, mas é um primeiro passo positivo se lembramos dos dois últimos anos de quase total recessão que o estado e o país viveram – ressalta Vitor Augusto Koch.

Um fator que anima o presidente da FCDL-RS para os próximos meses é o dinheiro que se origina dos saques das contas inativas do FGTS e que terá boa parte de sua circulação direcionada para o varejo. Vitor Koch fala que a Federação prevê um crescimento de 7% nas vendas no período entre março e junho deste ano, com a utilização destes recursos.

– Acreditamos que cerca de R$ 1,5 bilhão poderá ser injetado no varejo do Rio Grande do Sul via recursos oriundos do saque das contas inativas do FGTS. Se isso se concretizar vai trazer uma perspectiva mais animadora para os lojistas do estado. Para tanto, será importante que eles saibam conquistar e fidelizar os consumidores – enfatiza Vitor Augusto Koch.

Para todo o ano de 2017 a FCDL-RS espera que outros fatores, como a queda dos índices de inflação e a redução das taxas de juros possam contribuir para reaquecer, de forma mais significativa, as vendas do varejo. Importante, também, será a elevação da confiança por parte dos consumidores, o que aumentará seu ímpeto de consumo.

Fonte: FCDL