Varejo gaúcho mantém índices positivos de emprego

varejo

Apesar do ritmo de retomada dos empregos ser lento, a avaliação da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do SUl – FCDL-RS é de otimismo para os próximos meses. A análise com base em dados do CAGED baseia-se em um cenário ainda positivo no ano com alta de 20.928 empregos, sendo o estado gaúcho superado apenas por São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Distrito Federal.

As contratações estiveram centralizadas, pelo segundo mês consecutivo, nos municípios de base fumageira. Já as diminuições de vagas ocorreram, principalmente, em Vacaria, motivadas provavelmente pelo fim da safra de maça. Além disso, Porto Alegre destacou-se negativamente nos ramos de varejo e imóveis.

– A queda do emprego rural foi de 2.830 vagas, influenciando também o comércio atacadista que teve retração de 1.347 postos de trabalho – afirma o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

No segmento específico do varejo, abril registrou recuo de 27 vagas em abril, o que pode ser considerado um resultado neutro diante da população de cerca de 530 mil comerciários no RS. O fator positivo é que no mesmo período do ano passado houve retração de 909 postos de trabalho.

– Essa dinâmica evidencia um processo evolutivo da empregabilidade do varejo gaúcho. A partir disso, o que esperamos é uma aceleração no segundo semestre, caso a crise política não abale em demasia os resultados econômicos do país e do estado – completou Vitor Augusto Koch.

A análise no âmbito municipal é de concentração de dispensas em Porto Alegre (especialmente em shoppings centers) e cidades do litoral, afetadas pelo fim da mobilização de empregos temporários do período de verão.

Fonte: FCDL / Play Press