Tacchini registra recorde histórico de atendimentos respiratórios 

Na última quarta-feira, dia 12, o Hospital Tacchini registrou recorde de procura por atendimento na estrutura de Pronto Socorro responsável por acolher pacientes com sintomas respiratórios. Ao todo, 138 pessoas receberam assistência em apenas 24 horas, somando pacientes adultos e pediátricos.

O número supera em 21% a maior marca registrada até então pelo hospital desde o início da pandemia. O recorde anterior ocorreu durante a segunda onda de Covid-19, em junho de 2021, quando foram realizadas 114 consultas em um dia. Em dezembro do último ano, a média diária era de 50 atendimentos.

A média de internação mostra que a maioria dos que procuram a estrutura do Tacchini atualmente apresenta sintomas leves. Em janeiro, o dado aponta que 1,39% dos casos precisaram de hospitalização, enquanto em alguns meses de 2021 o mesmo dado apontava que números acima dos 8%.

Tempo de espera por atendimento

O maior impacto causado pelo alto volume de atendimentos registrados no Pronto Socorro atualmente é a média de tempo de espera por atendimento, que varia de acordo com a classificação de urgência definida pelo Ministério da Saúde.

Para amenizar os impactos do aumento da quantidade de pacientes, o Tacchini tomou uma série de medidas. Entre elas, está o reforço nas equipes multiprofissionais, a ampliação das estruturas de atendimento até o máximo da capacidade e a aplicação de medicações de ação rápida, que não necessitem de tempo de observação.

Mesmo assim, o hospital alerta que o tempo de espera está superior ao registrado usualmente, sobretudo nos horários de pico. A média do tempo de espera para atendimentos no Pronto Socorro pode ser consultada no site do hospital, em www.hospitaltacchini.com.br/.

 

Fonte: Alexandre Brusamarello
Foto: Tiago Flaiban / Divulgação

(RM)