Setor moveleiro gaúcho ainda sofre com oscilações do mercado

Moveleiro

Mês de maio apresentou queda tanto na produção de móveis quanto nas exportações, enquanto junho registrou resultados positivos

O relatório ‘Conjuntura e Comércio Externo do Setor de Móveis no Brasil’ do IEMI – Inteligência de Mercado mostra que a produção de móveis no estado do Rio Grande do Sul no mês de maio foi de 5,5 milhões de peças, uma queda de 9,8% em relação a abril. Apesar de no acumulado do ano a produção industrial ter registrado alta de 1,3%, nos últimos 12 meses, houve retração de 1,3%, de acordo com dados do IBGE.

Exportações

Em se tratando de exportações de móveis, diferentemente da elevação de 1,3%, registrada em abril, atingindo US$ 17,3 milhões, no mês de maio as exportações sofreram queda significativa frente a abril, (-33,9%), alcançando US$ 11,4 milhões. Já em junho, as exportações apresentaram forte alta, 58,9%, somando US$ 18 milhões. De acordo com o presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), Volnei Benini, o contraste entre os meses de abril, maio e junho é significativo, sendo que maio apresentou grandes perdas, em boa parte, devido à greve dos caminhoneiros.

Ainda no quesito exportações, o RS se mantém no segundo lugar. Em junho, o Estado representou 28,1% do total das negociações, atrás apenas de Santa Catarina. Com relação aos países de destinos das exportações gaúchas de móveis, o Peru fica em primeiro lugar com 17,5% dos valores exportados em junho, seguido pelo Uruguai com 14,8% e Estados Unidos com 14,5%.

Acumulado das exportações

No acumulado dos seis primeiros meses do ano, o RS cresceu 7,8% em comparação com o mesmo período de 2017. O principal de destino das exportações do Rio Grande do Sul é o Uruguai com 15,0% dos valores exportadores no primeiro semestre de 2018; o Peru vem em seguida, com 14,5% e o Reino Unido, com 14,4%.

Consumo aparente
Analisando o consumo aparente de móveis no estado do Rio Grande do Sul, o volume foi de 5,4 milhões de peças, queda de 8,1% com relação a abril. No acumulado do ano até maio houve alta de 1,6%.

 

Fonte: Assessoria Movergs / Adri Silva