Servidores iniciam nesta quarta protestos contra pacote de revisão do plano de carreira no RS

As próximas horas serão de paralisação geral de importantes categorias do Rio Grande do Sul. Contrários a proposta do Piratini, chamada de “Reforma Estrutural do Estado”, que defende uma melhoria econômica nos cofres públicos com medidas como novas regras para os adicionais de tempo de serviço, o fim da incorporação de funções gratificadas, alterações no plano de carreira e descontos maiores para a Previdência, os servidores vão para a rua.

O Ugeirm Sindicato, que representa os Policiais Civis, Escrivães, Inspetores e Investigadores, dá início nesta quarta-feira, dia 13, a uma intensa mobilização.

“A nossa paralisação é fundamental. Esse pacote destrói toda segurança pública, atinge o dia a dia de todos nós. O pacote não foi pensado. Ele não beneficia ninguém, só a criminalidade”, diz o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz. A orientação é que as Delegacias de Polícia só atendam casos de maior proporção, como urgências e emergências.

O Cpers/Sindicato (Sindicato dos Professores do RS) que no dia 15 de outubro, dia do professor, parou, convoca apóia a ação dos Policiais e tem o dia 14 como o chamado “Dia D”. O intuito é de na Praça da Matriz, reforçar um Ato Unificado da Frente de Servidores Públicos como forma de mostrar contrariedade às medidas do “Pacote”. Os demais núcleos são convocados a seguirem o movimento que pretender paralisar a Rede Estadual de Educação.

O protesto tem a presença ainda das demais entidades que fazem parte da Frente dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul.

A imagem abaixo é divulgada pelo Ugeirm como forma de convocação a categoria:

image description

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora