Secretário justifica redução de horário de atendimento nas UBSs em Bento

img_2103

O anúncio da redução do horário de atendimento em algumas Unidades de Saúde (UBS) de Bento Gonçalves de forma temporária tem motivado debate por parte de moradores do município. Em entrevista para Rádio Difusora 890 AM o secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira, justificou que não é mais possível correr riscos.

“O que a gente recebe não vai dar para pagar, temos que fazer reduções. Não podemos chegar no final do ano com medo de greve dos médicos ou de outro funcionário. Não podemos mais não ter medicamentos, temos que priorizar”, disse. A estimativa de déficit não repassado para a pasta entre os governos Estadual e Federal, está em R$ 8 milhões.

Siqueira mencionou ainda que serviços como a UPA 24H e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) tem de serem garantidos para a população.

A UPA por exemplo, cresceu 10% o número de atendimentos em 2016, com 132.600, diante de 120.940 em 2015. Neste 2017 o número já passa de 20 mil.

O Samu teve um aumento de 25% na demanda no ano passado, com 3.824 atendimentos, contra 3.068 em 2015.

“Vamos priorizar urgências e emergências na UPA e o Samu não pode faltar”, resumiu o secretário.

Medidas já anunciadas

Na Unidade de Saúde da Cohab o atendimento passa para terças e sextas-feiras durante a manhã; do Maria Goretti, nas segundas e quartas-feiras pela manhã e do São Roque de segundas a sextas-feiras das 7h às 13h.

A Unidade de Saúde de São Pedro, no interior, chegou a ser temporariamente fechada, com a orientação de que a comunidade procure a Estratégia Saúde da Família (ESF) do Barracão.

O Espaço de Saúde do Idoso, do bairro Progresso, abrirá alguns turnos com atividades físicas, de grupo e fisioterapia. O atendimento médico, a partir de 20 de março, será realizado na ESF do bairro.

A redução do horário de atendimento poderá durar até seis meses ou mais, dependendo da avaliação do quadro financeiro.

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora