Sebrae RS: Alternativas para amenizar impactos do coronavírus no segmento de comércio e serviços

Vendas a distância e redução de custos fixos são algumas das providências que podem ser adotadas

Neste período de quarentena, uma das poucas certezas é a de que é preciso adotar logo algumas medidas para fazer frente aos desafios que irão surgir. A tecnologia, por exemplo, pode ser uma grande aliada do segmento de comércio e serviços para vendas e contatos com os clientes por meio do atendimento a distância. Vale utilizar ao máximo as redes sociais, pois, com mais pessoas em casa, a tendência é de que elas intensifiquem os acessos, tornando esse um canal ainda mais importante de comunicação com o consumidor.

Além disso, é imprescindível oferecer um ambiente higienicamente seguro, no caso dos estabelecimentos que ainda estão abertos, seguindo todas as recomendações dos órgãos de saúde pública. “É importante demonstrar flexibilidade de oferta, novas alternativas de acordo com a necessidade individual de cada cliente, além de deixar claro que estão sendo adotadas todas as medidas de precaução, assim ele terá mais confiança em realizar negócios com você”, afirma o especialista em competitividade setorial do Sebrae RS, Fabiano Zortéa.

As orientações aos empresários estão disponíveis em e-book e podem ser acessadas em www.sebraers.com.br/coronavirus.
Veja algumas dicas

– Utilizar preferencialmente as vendas a distância, sugerindo ao cliente a opção de enviar os produtos para a casa dele;

– Criar formas de retiradas de produtos para estimular o consumo sem contato físico;

– Explorar práticas como venda condicional e consignação;

– Vender de portas fechadas atendendo um cliente de cada vez, assegurando que na sua empresa não haverá aglomeração de pessoas;

– Dar confiança para o consumidor que ele poderá ser atendido de outras formas, sem a necessidade de sair de casa;

– Reforçar a comunicação nas redes sociais de forma a garantir a saúde dos clientes e incentivar a compra de produtos (lives, cards, posts);

– Replanejar o seu estoque, pedidos, quantidades e prazo de entrega, revendo o planejamento de compras junto aos seus fornecedores;

– Validar disponibilidade de produtos junto aos fornecedores e identificar alternativas, evitando a dependência de uma única empresa;

– Reduzir imediatamente os custos fixos como aluguel, luz água e supérfluos;

– Renegociar prazos de pagamento com fornecedores para ganhar fôlego financeiro;

– Negociar financiamentos de longo prazo com os bancos, com juros baixos e carência durante o período de crise;

– Planejar uma nova escala de horários mais flexíveis e promover um revezamento com as equipes;

– Procure adiar as ações promocionais e eventos programados junto aos clientes e evite o cancelamento definitivo;

– Mais do que nunca, utilize o whatsapp, como uma forma de relacionamento com clientes e realização de vendas;

– Utilize o máximo as suas redes sociais, com mais pessoas em casa, a tendência é de que elas acessem mais as redes, sendo um ótimo canal para se comunicar com o consumidor;

– Lavar as mãos após contato com dinheiro e sugerir para os clientes evitar esse meio de pagamento;

– Utilizar a tecnologia contactless (aproximação do cartão) com os seus clientes quando disponível, assim eles não tocam na máquina de cartão e efetuam o pagamento de maneira rápida e prática;

– Pesquisar novos mercados e necessidades demandadas pelo consumidor no momento de crise;

– Recomendar aos clientes que lavem as mãos ao entrar na loja;

– Limpar maçanetas, balcões equipamentos com álcool gel após cada atendimento;

– Lavar as mãos após cada atendimento;

– Controlar a temperatura dos colaboradores que apresentaram mal-estar;

– Manter uma boa ventilação;

– Comunique-se com seu cliente e demonstre que você está tomando todas as medidas de precaução, assim ele terá confiança em realizar negócios com você;

– Recomende o acesso às informações e orientações oficiais sobre a doença. https://saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus e http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/.

Fonte: Sebare-RS

Foto: Pixabay