Rio Grande do Sul tem saldo positivo de 21.983 vagas de emprego no primeiro quadrimestre

Carteira_trabalho

Após quatro meses de desempenho positivo, estado teve retração de 0,12% do mercado de trabalho em abril

O Rio Grande do Sul fechou o primeiro quadrimestre do ano com saldo positivo de 21.983 vagas formais de emprego, segundo dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho divulgados nesta terça-feira (16). Em abril, porém, o estado teve um desempenho negativo no saldo de vagas, com o fechamento de 3.044 postos de trabalho, uma queda de queda de 0,12% em relação a março.

O saldo negativo foi puxado pelos setores da Agropecuária, com o fechamento de 2.830 postos, e do Comércio, que teve queda de 1.374 vagas. No entanto, outros setores tiveram desempenho positivo, com destaque para a Indústria de Transformação, com 973 novas vagas, e o setor de Serviços, com 155 postos abertos.

Rio Grande do Sul – Comportamento do emprego segundo Setores de Atividade Econômica
     
Setores de Atividade Econômica Saldo de Abril de 2017
Variação Absoluta Variação Relativa (%)
Extrativa Mineral 9 0,15
Indústria de Transformação 973 0,15
Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP -71 -0,28
Construção Civil 117 0,10
Comércio -1.374 -0,23
Serviços 155 0,02
Administração Pública -23 -0,04
Agropecuária -2.830 -2,98
Total -3.044 -0,12

O Rio Grande do Sul vinha de quatro meses consecutivos de crescimento de empregos com carteira assinada. A retração em abril foi influenciada pela agropecuária.

“O saldo de abril foi influenciado, principalmente, pelo momento da agropecuária e do comércio, mas há uma tendência de retomada do mercado gaúcho, que em março teve o melhor desempenho entre os estados. As medidas adotadas pelo governo federal estão colocando o país nos trilhos do crescimento e as oportunidades de emprego e renda para os trabalhadores e trabalhadoras estão surgindo. Confiamos que, em breve, o Rio Grande do Sul vai voltar a ocupar posição de destaque na geração de empregos”, comentou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

Nas cidades com mais de 30 mil habitantes, Venâncio Aires (1.639) e Santa Cruz do Sul (1.004) tiveram resultados positivos na criação de vagas. Já na outra ponta, Vacaria apresentou a maior queda no saldo de empregos, com fechamento de 1.047 postos, seguida por Porto Alegre, com redução de 467 vagas.

DADOS NACIONAIS

O Brasil teve saldo positivo de empregos formais em abril, segundo o Caged, divulgado nesta terça-feira (16) pelo Ministério do Trabalho. O crescimento foi de 59.856 postos de trabalho, equivalente a uma variação positiva de 0,16% em relação ao estoque do mês anterior. Foram 1.141.850 admissões e 1.081.994 desligamentos.

“São resultados expressivos e animadores, que indicam uma clara tendência de crescimento”, afirmou o ministro Ronaldo Nogueira. “Os dados do Caged de abril refletem o acerto das ações concebidas e implementadas pelo governo do presidente Michel Temer, cuja gestão está completando um ano.”

Sete dos oito setores de atividade econômica apresentaram crescimento no nível de emprego. Os destaques foram Serviços (+24.712 postos ou variação relativa de +0,15%), Agricultura (+14.648 postos ou +0,95%), Indústria de Transformação (+13.689 postos ou +0,19%) e Comércio (+5.327 postos ou +0,06%). A Construção Civil, mesmo apresentando saldos negativos (-1.760 postos ou -0,08%), teve desempenho bem melhor do que o de abril do ano anterior (-16.036 postos).

Fonte: Ministério do Trabalho