Representantes da rede de Educação Infantil Privada protestam em frente a Prefeitura de Bento

Proprietários e colaboradores de escolas de Educação Infantil da Rede Privada de Bento Gonçalves realizaram uma manifestação em frente à prefeitura do município na tarde desta quinta-feira, dia 18, reivindicando apoio do poder público após fechamento das instituições desde o mês de março em decreto estadual.

Segundo Taiane Deconto, presidente da Associação Bento Goncalves das Escolas de Educacao Infantil da Rede Privada (ABEIPAR), são 30 instituições no município, sendo que 23 delas tem vagas compradas pelo poder público. As escolas, conforme a presidente vêem enfrentando grandes dificuldades e estão desassistidas pelo município.

“A gente deu todos os descontos possíveis aos pais porque eles estão tendo de deixar essas crianças em outros locais, estão tendo de pagar outros cuidadores, muitos desses pais perderam o emprego ou tiveram jornada de trabalho reduzida e por consequência suas rendas também diminuíram, então a gente teve que dar esses descontos para poder pelo menos manter os custos fixos das escolas. Nesse momento não estamos buscando lucro, queremos apenas manter as escolas abertas”, afirmou Taiane.

A vice presidente da entidade, Daiane Dalpiaz, afirmou que “o poder público não nos auxilia com nada, desde o dia 19 de março nós estamos desassistidos financeiramente”.

Taiane ainda informou que as escolas vem se mantendo grande parte por conta do auxílio dos pais que mantiveram as mensalidades, com ou sem desconto, porém, muitas existem instituições estão sem receber nada neste momento.

A presidente ainda destacou que o objetivo do manifesto foi ouvir a posição do poder público, “nós queremos que o prefeito nos dê uma previsão de retorno, mesmo que ele diga que é o governador quem vai decidir, mas queremos que ele tome frente da causa, que lute pelas escolas”.

O município divulgou na tarde desta quinta, que antecipou metade do valor dos pagamentos de vagas compradas pela prefeitura nas escolas privadas, porém as representantes da entidade destacaram que este valor será descontado posteriormente das instituições por ser um adiantamento e não um auxílio.

Fonte: Central de Jornalismo Difusora

*Matéria atualizadas ás 18h35