Protocolado na Câmara de Bento criação de CPI do Plano Diretor

amp_pmdb_17880003-737005489814103-4591510082620672972-o

O vereador Agostinho Petroli (MDB) protocolou nesta tarde de segunda-feira, 4, na Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para averiguar possíveis irregularidades na tramitação do projeto do Plano Diretor. De acordo com o Regimento Interno, um prazo de cinco dias é aberto para a Mesa Diretora deferir ou indeferir o pedido.

Para a criação foram necessárias seis assinaturas, que foram as seguintes:  Moacir Camerini (PDT), Elvio de Lima (MDB), Agostinho Petroli (MDB), Idasir dos Santos (MDB) e Paulo Cavalli – Paco (PTB), além de Gustavo Sperotto (DEM). A Comissão será formada por dez parlamentares, representando todas as bancadas do Legislativo, com cinco titulares e cinco suplentes.

Coincidentemente, a CPI foi protocolada no mesmo dia em que aconteceu a “Operação 165” realizada na manhã desta segunda-feira, 4, pelo Ministério Público na Câmara de Vereadores de Bentocom apoio do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) Núcleo Serra e das Promotorias de Justiça de Bento Gonçalves e da Especializada Criminal da Capital, onde foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, sendo quatro em gabinetes da Câmara e quatro nas casas de parlamentares.

 

Promotoria de Justiça Cível de Bento Gonçalvesabriu dia 14 de maio, um inquérito civil como forma de dar início a uma investigação de uma possível articulação para aprovação de emendas relacionadas ao Plano Diretor no Poder Legislativo local.

Em uma gravação de uma reunião realizada com moradores, o vereador Gustavo Sperotto (DEM) teria afirmado o oferecimento de R$ 40 mil para vereadores aprovarem emendas que pudessem interferir na construção de prédios no chamado Corredor Gastronômico (ZGT), que corresponde a uma zona que faz um “L” nas ruas Henry Hugo Dreher e Avenida Planalto. Este material chegou até o MP que iniciou as investigações.

Cabe salientar que após o MP iniciar o inquérito, a Prefeitura pediu o desarquivamento do projeto na Câmara.

 

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora