Presidente da Câmara, Rafael Pasqualotto, fala sobre absolvição, desafios no Legislativo e planos futuros

O presidente da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, Rafael Pasqualotto, esteve na sede da Rádio Difusora nesta semana, para falar sobre assuntos pertinentes a sua atuação no poder Legislativo. O presidente falou sobre a absolvição no caso do processo do Plano Diretor, o atual panorama e os principais desafios enfrentados na Câmara em meio a pandemia, além de contar um pouco sobre os planos para o futuro.

Nesta semana, a 2ª Vara Cível da Comarca de Bento Gonçalves absolveu, o presidente da Câmara da acusação de suposto envolvimento com tentativa de corrupção no caso do plano Diretor. Com relação ao assunto, Pasqualotto afirmou que teve a sua vida “varrida” durante as investigações e nenhuma prova contundente de corrupção foi encontrada. “Foi uma profunda investigação, eu costumo dizer que fomos investigados pelo FBI do Rio Grande do Sul, que é o GAECO, MP, órgãos muito bem conceituados, com aparelhagem, tecnologia e após termos nossos celulares pessoais e funcionais, conta bancária, notebooks, nossa vida toda varrida, ou seja uma análise profunda, nós tivemos essa decisão em que o Judiciário entendeu que não há prova que incrimine”.

Ele ainda ressalta que não há como uma pessoa ser incriminada quando não há um indício mínimo, uma prova mínima do cometimento de um crime, e sim uma única prova testemunhal. “Se você errou vai ficar ao menos uma prova, no whatsapp, no email, em uma ligação, em um vídeo, uma conversa, se você errou vai ficar ao menos um prova documental, mas só tinha uma prova testemunhal, que ao longo das investigações ainda se contradisse o tempo inteiro, não pôde provar, então o juiz, que é alguém inteligente, sábio, percebe, na verdade qual era o real objetivo ali”.

O presidente ainda afirmou que independente do resultado do processo, o trabalho continuaria sendo realizado da melhor forma possível no Legislativo, devido a confiança dos eleitores que o reconduziram à Câmara nas eleições de 2020, e aos colegas que da mesma forma o levaram novamente à presidência da casa, “nós continuaríamos levando nosso trabalho a sério, isso (a absolvição) só vem ratificar toda uma história, um legado, estávamos convictos desse resultado”.

Panorama e desafios na Câmara

Segundo o presidente a pacificação da Câmara é o principal fator para que os trabalhos sejam realizados da melhor

forma possível. “Após anos de guerras ideológicas nós finalmente conseguimos pacificar o Legislativo. Obviamente é um parlamento, há debates, há falas mais acaloradas dependendo do projeto, mas essa pacificação resulta em um foco pró-comunidade”.

Neste primeiro ano de legislatura atual foram realizadas diversas audiências públicas com temas como Lago da Fasolo, modelo pedagiário, desburocratização, causa animal, abastecimento de água, entre outros. “Nesse primeiro ano foram realizadas mais audiências do que nos quatro anos anteriores, foram muitas frentes que você só consegue fazer com uma câmara pacificada”. O presidente ainda destacou que quando há guerra, quando há divergências, “para-se a produção e de coisas boas e só se produz material bélico, e era assim que estava a câmara antes, tudo que era produzido era só pra um atacar o outro, e não é isso que a comunidade quer”, ressaltou.

Já com relação as dificuldades enfrentadas durante a pandemia, o presidente destacou que as inúmeras divergências e briga de poderes principalmente nos cenários Estadual e Federal, foi debatido internamente no Legislativo, para coibir a chamada “briga de vaidades”, e poder unir os parlamentares em prol de um maior apoio ao Executivo nas medidas tomadas principalmente no início da pandemia.

Planos Futuros

Rafael Pasqualotto  aproveitou para falar sobre as expectativas e os planos futuros, tanto em termos partidários quanto a nível municipal, já que Bento Gonçalves não elege diretamente um deputado, tanto na esfera estadual como federal, há mais de 30 anos. Segundo Pasqualotto, é inadmissível que Bento Gonçalves não possua representatividade na Assembleia e na Câmara Federal. “Nós temos hoje um pré-candidato (Guilherme Pasin) à assembleia. Um homem totalmente capacitado, gabaritado experiente na função pública, o Progressistas está com ele e eu vejo totais condições de ele ser o nosso representantes tendo em vista esta experiência, o contato que ele tem, tenho certeza que muito bem irá representar Bento Gonçalves na AL”.

O presidente do legislativo, anunciou também que colocará o seu nome a disposição do partido para a Câmara Federal “eu entendo que nós temos que ter uma ponta em Brasília, e é aí que eu me coloco a disposição tanto do partido quanto do nosso município à deputado federal. Conheço os caminhos, conheço a administração pública, e conheço Bento Gonçalves, na sua essência, no bairro, nas classes empresariais, nas entidades e eu me considero apto a bem representar o município nas questões que vão alavancar a nossa economia, Educação, Saúde, Segurança, enfim, tudo que Bento precisa”, finalizou.

Central de Jornalismo Difusora

(KPJ)