Prefeitura de Bento inicia trabalho pioneiro com imigrantes haitianos na saúde

Após a catástrofe sofrida pelo Haiti, em 2010, o Brasil passou a acolher imigrantes, que vieram para o país com o objetivo de buscar oportunidades de emprego e a possibilidade de proporcionar uma vida digna para seus familiares, deixados no seu país de origem. Em Bento Gonçalves não foi diferente e hoje cerca de mil pessoas residem na cidade, destas 700 estão escritas no Cadastro único.

Com o objetivo de estreitar a comunicação com estes imigrantes a Prefeitura de Bento Gonçalves, através da Secretaria de Saúde inicia um projeto pioneiro. Neste sábado, 03, o Prefeito Guilherme Pasin e o Secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira receberam o Haitiano Jonel Pierre, 40 anos. Vivendo há cerca de oito anos na cidade, ele será responsável por realizar a interlocução entre poder público e os imigrantes.

Conforme o Secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira a comunicação é uma das dificuldades encontradas no atendimento aos imigrantes haitianos. “Ter alguém que tenha essa interlocução é importante para que possamos atender ainda melhor estas pessoas. Por isso, ele vai atuar nos núcleos onde registramos a maior concentração deste grupo. Se nascer uma criança em nossa cidade, o Pierre será responsável por passar as orientações para esta família”, disse.

“É um dia lindo para mim. A minha missão em Bento é fazer um acompanhamento com a comunidade haitiana, ajudando a traduzir o português para o crioulo, apresentando os serviços de saúde, assistência e educação. Será um trabalho para facilitar a vida das pessoas. Por isso é um grande dia”, comemora Jonel Pierre.

Para o Prefeito Guilherme Pasin a missão é ainda maior. “Estamos dando hoje um grande passo. O trabalho do Pierre junto ao poder público será muito mais do que tradução, que será feita junto a assistência social, os serviços de saúde e educação, mas principalmente será fazer a ponte inversa, pois, irá passar para o nosso sistema de humanização e atendimento o caráter cultural deste povo. Pois, cultura não se muda, se respeita”, destaca.

 

Fonte: Prefeitura de Bento