Prefeito de Veranópolis: “alguns tem interesse de colocar todos os óbitos na conta do Covid”

Na terça-feira, dia 14, um homem de 61 anos faleceu morador da cidade de Veranópolis. Ele foi incluso no Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) com a causa morte Covid-19. Entretanto, foi tratado pelo prefeito e médico Waldemar De Carli (MDB), que é cardiologista e acompanhou o caso de perto.

Segundo De Carli “é um paciente que já estava com 15 dias de evolução de um Covid-19, possuía patologia com dois antecedentes de infarto no miocárdio. Ele nunca usou oxigênio e não teve estas complicações”, disse.

O médico salienta que a causa morte foi um novo infarto e por ter monitorado o paciente o Município ingressou com um pedido de revisão junto a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, que foi negado.

A Rádio Difusora já apresentou uma reportagem especial sobre o tema onde relatou o posicionamento do Ministério da Saúde para que os médicos que atestam óbitos sigam um documento denominado “Orientações para o preenchimento da Declaração de Óbito no contexto da Covid-19”, com a finalidade de orientar os profissionais nas declarações de falecimentos em razão da doença.

Nele consta que a Covid-19 deve ser registrada no atestado médico de causa de morte para todos os óbitos que a doença causou, se assume ter causado ou contribuído para a morte. Aparentemente pode ser um dos motivos do elevado número de óbitos registrados até então.

Com base neste entendimento, a SES negou o pedido da Prefeitura.

Abaixo, a imagem com a confirmação do Estado de óbito em Veranópolis no Twitter oficial:

 

Relembre reportagens sobre o tema trazidas pela Rádio Difusora 890 abaixo:

Entenda as notificações de óbitos por Covid-19 e por quê ainda existem dúvidas

Eventuais pedidos de revisão de óbitos por Covid-19 são avaliados por Comitê no RS

Fonte: Felipe Machado – Central de Jornalismo da Difusora