Prefeita de Santa Tereza evita aumento de 23,14% sobre IPTU e taxas sanitárias

Pensando em não prejudicar o contribuinte municipal e evitar a sobrecarga tributária, a Prefeita de Santa Tereza, Gisele Caumo, encontrou justificativa legal para aplicar reajuste de apenas 4,52% para a URM, sem prejudicar as contas públicas.

Anualmente, a atualização da Unidade de Referência Municipal era feita pelo índice IGP-M, que este ano sofreu um salto imprevisível de 23,14%.

Preocupada em não prejudicar ainda mais os habitantes, em época de pandemia e insegurança econômica, a administração utilizou para o reajuste de 2021 índice que apenas repõe a inflação do período. Assim, foi possível manter o equilíbrio das contas públicas e poupar o cidadão santaterezense de maiores gastos.

Fonte e foto: Prefeitura de Santa Tereza