Praça CEU lança projeto “Poesia, o Alimento da Alma”

Em tempos de pandemia, a Cultura se mostra essencial para confortar, alegrar e dar esperanças às pessoas. Pensando nisso, a equipe da Praça CEU, coordenada por Patrícia Da Rold, criou o projeto “Poesia, o alimento da alma”. A ação visa levar a poesia à população mais carente por meio de versos que representem conforto e recomeço e objetiva alcançar aproximadamente 150 lares onde são entregues as cestas básicas.

A coordenadora da Praça CEU entende que o projeto “vem suprir a necessidade de, através da Literatura, levar versos de esperança e de ânimo para a população mais carente que, por vezes, não tem acesso a poesia e precisam de palavras de acolhida num momento tão difícil como esse”.

A coordenadora do CRAS I, Débora Fin, destaca que o projeto “é de extrema relevância. Atitudes assim demonstram empatia e sensibilização com o outro, que, talvez, espera neste cenário uma palavra de motivação e afeto. Acredito que a Cultura é essencial, pois expressa a linguagem, música, criatividade, arte, criando assim sentimentos de pertença e valorização”.

O secretário de Cultura e presidente da Fundação Casa das Artes, Evandro Soares, observa que “é uma alegria presenciar, dia a dia, as diversas formas que se cria para atender ao outro. ‘Poesia, o alimento da alma’ traz um gesto de atenção e de carinho que possa transmitir que esse pedacinho com palavras esteja próximo do coração, da alma e da mente”.

O projeto “Poesia, o alimento da alma” é uma realização da Secretaria de Cultura (SECULT) em parceria com a Secretaria de Esportes e Desenvolvimento Social (SEDES) por meio da Praça CEU.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Fotos: Divulgação/Praça CEU