Pinto Bandeira e Santa Tereza destacam-se entre os municípios do RS na superação da meta da vacina da gripe

Restando três semanas para o final da Campanha da Vacinação contra a Gripe, os municípios de Santa Tereza e Pinto Bandeira estão entre os destaques do Rio Grande do Sul, por superações de meta, antes mesmo no final do prazo, de acordo com divulgações realizadas pela Secretaria Estadual da Saúde (SES).

Até o dia 8 de maio, juntamente com São José do Inhacorá, Taquaruçu do Sul e Candiota, Santa Tereza apresenta o maior percentual de cobertura dos grupos. Estava em 91%, com a previsão de vacinar 728 pessoas e já ter atingido 667 pessoas. Nesta segunda-feira, dia 13, o dado atualizado da Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura apresenta uma elevação de para 94%.

“É uma valorização muito grande para a nossa equipe de saúde que desempenhou a função, indo nas comunidades distantes, em pessoas até com difícil acesso. Foi com muita vontade e isto é gratificante”, comentou a secretária de Saúde, Trabalho e Ação Social, Marinês Campestrini.

Também nesta segunda-feira a SES aponta que Pinto Bandeira é a 1ª cidade gaúcha com até 1 mil crianças e gestantes entre os 362 municípios do Estado nesta condição, que vacinou 151% desta população.

Isso representa que foram vacinadas até o momento 86 pessoas, o que significa 29 acima da estimativa. Para alcançar a todos eles, a secretária municipal de saúde, Janaíne Arpini, destaca a mobilização realizada durante o sábado do Dia D, em 4 de maio.

“Levamos a vacinação para a praça central e tivemos uma boa adesão”, relata. “Também foi muito importante o trabalho de distribuição de materiais informativos pelos agentes de saúde nas visitas domiciliares e também nas creches e escolas”, afirma a titular da pasta.

A campanha de vacinação vai até o dia 31 deste mês. Ao todo, mais de 3,8 milhões de pessoas no Estado fazem parte do público-alvo.

Grupos prioritários para vacinação
– Crianças (maiores de seis meses e menores de seis anos)
– Gestantes (em qualquer período de gestação)
– Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto)
– Trabalhador da saúde
– Pessoas com 60 anos ou mais
– Professores
– Policiais, bombeiros e militares
– Doentes crônicos (doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, neurológicas ou hepáticas, diabetes, imunossupressão, obesidade, transplantados ou pessoas com trissomias)

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora