Outubro foi positivo para a produção de móveis gaúcha

No total foram 8,3 milhões de peças produzidas, apresentando alta de 11,3% na comparação com o mês anterior

O relatório de dezembro ‘Conjuntura e comércio externo do setor de móveis no Brasil’, contendo dados de outubro e novembro de 2018, demonstra que a produção de móveis no estado do Rio Grande do Sul foi de 8,3 milhões de peças no mês de outubro, crescimento de 11,3% em relação a setembro. O documento foi produzido pelo IEMI –Inteligência de Mercado e encomendado pela Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs).

No acumulado do ano, a produção industrial no Estado cresceu 3,9% e (+)1,7% nos últimos doze meses de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Exportações

Diferentemente do mês de outubro, quando as exportações cresceram 23,0%, atingindo US$ 21,2 milhões, em novembro, as exportações recuaram (-1,1%), resultando em US$ 21 milhões. Juntos, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná continuam liderando entre os principais estados exportadores, representando respectivamente 31,7%, 14% e 1,9%, e totalizando 47,7% dos valores exportados. São Paulo foi responsável por 13,6% dos valores exportados.

Analisando os países de destino das exportações de móveis do Rio Grande do Sul, em novembro o Peru ficou em primeiro lugar, com 19,6% dos valores exportados, seguido pelos Estados Unidos com 15,6% e pelo Uruguai com 15,0%.

Consumo aparente

O consumo aparente de móveis do Rio Grande do Sul foi de 7,6 milhões de peças, crescimento de 10,6% em relação a setembro. No acumulado do ano até outubro houve alta de 2,6%.

Geração de emprego

O setor moveleiro do Rio Grande do Sul registrou saldo positivo quanto à geração de emprego na indústria moveleira, com as admissões ultrapassando as demissões em 176 vagas em outubro. Com relação a dezembro de 2017 os empregos cresceram 2,0%.

Comércio varejista

No estado do Rio Grande do Sul, as vendas do comércio varejista de móveis cresceram 14,3% em volume e alta de 14,4% em valores. No acumulado do ano, o varejo em volume apresentou crescimento de 1,3% e de 2,2% em valores das receitas.

 

Fonte: Adri Silva / Movergs