Operação Ruína prende cinco e bloqueia bens de grupo criminoso no RS

A Delegacia de Polícia de Repressão ao Crime de Lavagem de Dinheiro (DRLD), do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos (GIE) da Polícia Civil, desencadeou, na manhã desta sexta-feira (24), a Operação Ruína que combate aos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa. Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Viamão, Gravataí e Xangri-Lá. Quatro pessoas foram presas preventivamente e uma em flagrante. Foram apreendidos um cofre com R$ 29 mil e dois revólveres.

Segundo o delegado Filipe Bringhenti, estão indisponíveis R$ 6,3 milhões em bens, entre o bloqueio de contas bancárias e imóveis e o sequestro de veículos. O alvo da investigação foi um grupo criminoso comandado pelo principal protagonista e precursor de inúmeros crimes violentos em Porto Alegre nos últimos anos, que envolvem esquartejamentos, carbonizações e decapitações humanas.

O diretor do GIE, delegado Cristiano Reschke, destacou que, para o sucesso da operação, foi fundamental a atuação comprometida e efetiva do Ministério Público Estadual, por meio da Promotoria Especializada no Combate à Lavagem de Dinheiro e às Organizações Criminosas. “O trabalho em parceria trouxe e está surtindo efeitos importantes para a repressão ao crime organizado”, salientou o delegado.

Fonte: Palácio Piratini

Foto: Polícia Civil