Operação Golfinho registra mais de 270 salvamentos no Carnaval

Golfinho Divulgacao Bombeiros

O feriadão de Carnaval registrou até às 14h desta terça-feira, 28, 278 salvamentos, mais de 12 mil intervenções preventivas; quatro mortes em locais balneáveis fora do horário de banho ou distantes das guaritas; além de outros quatro óbitos em locais não balneáveis que não são protegidos por salva-vidas; um em local sinalizado com bandeira preta (risco de morte) e dois em locais balneáveis com atuação de salva-vidas. Os números foram divulgados pelo Comando dos Bombeiros do Rio Grande do Sul (CBMRS).

Confira algumas orientações repassadas pela Corporação:

Não despreze as sinalizações que indicam “correntes” ou “canais” de água que puxam para dentro do mar. Caso você não aviste um desses avisos na praia, procure os salva-vidas e pergunte qual o local mais seguro para nadar.

Também recomenda-se para nunca entrar no mar após ingerir bebida alcoólica, pois o álcool inibe a noção de perigo. Nadar ou brincar no mar depois de comer também não é recomendado, sob risco de congestão.

Outra dica é manter-se afastado de pedras e costeiras, que propiciam a formação de correnteza e dificultam o socorro.

Redobre a atenção com crianças. Na praia, coloque uma pulseira de identificação com nome completo e telefone de contato para facilitar a localização em uma eventual perda, sempre fique próximo e com contato visual. 

Observe seus limites e as indicações dos salva-vidas. Para brincar com segurança, água sempre abaixo da cintura.

Carnaval combina com calor e água. Mar, rios, açudes e piscinas são formas de refrescar o corpo, mas escondem alguns perigos. Para não correr riscos, vale a máxima: “água no umbigo sinal de perigo”. A dica é brincar com segurança, procurando ficar perto dos salva-vidas e sem exageros.

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora