Oficina “Arqueólogo por um dia: Escavação simulada” é realizada na Escola Fenavinho

Nesta terça-feira, 13, os alunos do terceiro ano da EMEF Fenavinho participaram de atividade diferente. Em comemoração ao Dia Estadual do Patrimônio, o Museu do Imigrante promoveu a oficina “Arqueólogo por um dia: Escavação simulada”, ministrada pelo Arqueólogo Professor Doutor Sérgio Celio Klamt e o acadêmico e bolsista Lucas da Silveira Kerpel, integrante do Projeto Conexão UNISC-Escola.

Na primeira parte, os estudantes conheceram um pouco sobre a Pré-história do Rio Grande do Sul e região de Bento Gonçalves, dando destaque para os três grupos indígenas que ocuparam a região: Pampeanos, Guaranis e Jê e como suas culturas contribuíram para formação da nossa identidade. Em diálogo, foram apresentados ao trabalho do arqueólogo, seus métodos e formas de compreender a história por meio dos artefatos e ruinas.

Na segunda parte, os estudantes realizaram uma atividade prática com escavação simulada onde em uma caixa com areia tinham que encontrar os vestígios materiais para após realizar sua análise. A professora Simone Felippo nos relata que “a turma adorou a aula de hoje. Ficaram encantados com tudo o que ouviram e conheceram. O assunto mais comentado foi sobre o tatu que, no passado, era do tamanho de um Fusca, além da questão dos mortos (pessoas mais importantes) que eram enterrados em panelas gigantes e a parte da prática, onde eles ‘escavaram’ para encontrar as peças. Foi um momento diferente que, com certeza, lembrarão com carinho”.

Deise Formolo, museóloga do Museu do Imigrante, destaca esse contato perene que os alunos tiveram com a Arqueologia: “a oficina propiciou um dia de reflexão sobre a dimensão dos significados do nosso patrimônio na longa duração e como todo vestígio que produzimos servirá como base de compreensão do nosso cotidiano”.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Foto: Jose Martim Estefanon