Morre o empresário Moysés Michelon, aos 83 anos, 1º presidente da Fenavinho

12936573_1068701556524997_7698177482926003822_n

Faleceu nesta terça-feira, 31, internado no Hospital Tacchini, o empresário Moysés Luiz Michelon, 83 anos. Ele estava na Casa de Saúde há alguns dias, mas piorou seu estado, e sofreu três paradas cardíacas, vindo a falecer por volta das 20h30min.

Michelon foi o primeiro presidente da Fenavinho em 1967, além de atuação por mais de 40 anos na empresa Isabela, no Clube Esportivo e em diversas esferas da sociedade bento-gonçalvense. Em 2016, lançou um livro  contando suas memórias: Uma Longa Tarde no Paiol.

O velório ocorre nas salas A e B das Capelas São José e o sepultamento será às 17h no Cemitério Público Municipal Central. O prefeito Guilherme Pasin decretou luto oficial de três dias no Município.

O Hotel Villa Michelon divulgou uma nota sobre o falecimento de seu diretor. Segue:

Nossa Longa Tarde no Paiol foi encurtada.

Faleceu neste 31 de outubro, por volta das 20h30min, em decorrência de uma parada cardíaca, o pioneiro do enoturismo de Bento Gonçalves e do Vale dos Vinhedos.

Oriundo de uma família de imigrantes italianos, Moysés Luiz Michelon deixa duas filhas, uma neta, sua esposa, dois genros e um legado imensurável para a cultura e o turismo do que hoje é o principal roteiro enoturístico do Brasil. Moysés Michelon ERA e SEMPRE SERÁ o Vale dos Vinhedos.

De opinião forte e sempre se manifestando com a ternura que a terceira idade proporciona, Moysés Luiz Michelon conquistou em sua jornada de 83 anos bem vividos uma quantidade invejável de admiridadores de seu espírito empreendedor e de sua jovialidade.

O carisma, que contrastava com pulso firme do proprietário e diretor geral do primeiro hotel do Vale dos Vinhedos, fez de Moysés Luiz Michelon uma figura emblemática em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul e também no Brasil. O menino, que chorou por uma travessura de infância abrigado em um Paiol, hoje nos faz chorar pela sua ausência.

O coração da família Villa Michelon está em luto. Para nós, ficam as lembranças deste empresário e hoteleiro, que costumava acompanhar o despertar do hotel se fazendo presente no café da manhã dos hóspedes, cuidando de cada espaço, promovendo novidades, atraindo o visitante para experiências inigualáveis e memoráveis. Para nós, fica também o carinho de patriarca, de um homem que era carinhosamente chamado de PAI nos bastidores do Villa Michelon, pelo seu corpo de 57 funcionários.

Neste momento de dor e luto, pedimos a todos paciência para a divulgação de horários de velório e sepultamento. Divulgaremos assim que possível.

Sr. Moysés leva consigo o carinho de todos os hóspedes que estiveram no Villa Michelon e pediu, até suas últimas horas, para que todos vocês desfrutem da vida com o mesmo vigor que ele o fez.

Abraços cordiais,
Equipe Villa Michelon.

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora