Medalhas no exterior para o setor vitivinícola do Brasil crescem 80%

JS4-1101

Prêmios saltaram de 168 em 2017 para 302 em 2018, sendo 210 para espumantes e 92 para vinhos

2018 começou bem e termina melhor ainda para o setor vitivinícola brasileiro. Depois de registrar uma excelente safra, com projeção de vinhos e espumantes diferenciados e desempenho já confirmado na 26ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2018, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) comemora o avanço dos vinhos e espumantes nacionais no ranking de premiações internacionais com a conquista de 302 medalhas somente neste ano, um salto de 80% em relação ao ano passado que registrou 168 distinções.

O reconhecimento é internacional e veio de 26 concursos realizados em 13 países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, China, Espanha, França, Grécia, Hungria, Inglaterra, Itália, México e Suíça). Esta é a terceira melhor performance já registrada, ficando atrás apenas de 2014 com 388 e 2016 com 338 distinções. “Este reconhecimento é resultado de muito desenvolvimento e pesquisa. Nós, enólogos, estamos em constante aperfeiçoamento. Este trabalho começa no vinhedo e acompanha todos os processos na vinícola. Estamos fazendo a nossa parte e o resultado está aí para o mundo ver”, destaca o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna. A ABE esteve representada com 21 enólogos.

Para 2019, 20 concursos estão no calendário oficial da entidade, para onde deverão ser enviadas amostras. Este trabalho vem sendo realizado sob coordenação da ABE desde 1995. De lá para cá, já foram conquistados 3.943 prêmios.

Maior crescimento foi entre os vinhos tranquilos
Apesar de quase 70% das premiações conquistadas este ano serem para espumantes, o maior crescimento percentual é registrado entre os vinhos tranquilos, que passaram de 45 para 92 medalhas na comparação com o ano passado (105%). Do total, 55 são tintos e 37 brancos. “Isso demonstra que o Brasil vem sendo reconhecido não apenas pela excelência de seus espumantes, mas também pelos seus vinhos”, comemora Scortegagna.

 

Fonte: Conceitocom Brasil / ABE