Infectologista do Tacchini reforça necessidade de ficar em casa

Nos últimos dias, sobretudo a região da serra gaúcha tem apresentado certa estabilidade nos números de casos confirmados de Coronavírus. Bento Gonçalves, por exemplo, apresentou apenas um novo caso em 72 horas. Contudo, a infectologista do Tacchini Sistema de Saúde, Dra. Nicole Golin alerta que ainda não é hora de retomar a circulação normal e que os próximos dias ainda serão decisivos para definir o tamanho dos estragos causados pela doença.

“No início todo mundo se compromete, mas vai passando um dia depois do outro e, como não vemos muita mudança nos números, a tendência do ser humano é começar a baixar a guarda e pensar: não é pra tanto. Aí as pessoas começam a circular mais, retomar as rotinas. Este é um erro que pode ser fatal para o futuro próximo”.

De acordo com a infectologista, a escassez de testes disponíveis e a determinação do Ministério da Saúde de realiza-los apenas em pacientes com quadros considerados graves, ou seja, que precisam de internação, impede o acompanhamento de números mais próximos da realidade. “O governo federal informou que vão chegas novos testes, mas ainda não tem previsão de quando. Nós não temos mais exames disponíveis em laboratórios terceirizados, o que reduz muito a possibilidade de confirmar diagnóstico. O fato de não termos novos casos de ontem pra hoje não nos tranquiliza”.

Os dados apresentados pelo Tacchimed ajudam a balizar o tamanho da diferença entre os números oficias a real extensão da pandemia em Bento Gonçalves e região. Atualmente, 60 pacientes que apresentaram sintomas leves característicos de COVID-19 estão sendo acompanhados pelo plano de saúde durante o isolamento domiciliar. Destes, apenas 2 tiveram o diagnóstico confirmado a partir da realização do teste.

A Dra. Nicole ainda cita exemplos positivos, como Canadá e Singapura, que foram eficazes no controle da transmissão do COVID-19. “Além de realizarem testes em grande quantidade para poder fazer isolamentos mais assertivos, eles tomaram ações muito semelhantes às de Bento Gonçalves em relação às paralisações. A colaboração da população da região é inquestionável e isso nos deixa otimistas. Acredito que ficar em casa nos próximos dias vai fazer toda diferença”, conclui.

Fonte: Tacchini Sistema de Saúde