Indústria segue sendo o setor que mais abre vagas de trabalho em Bento

Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul divulgou nesta semana, a Carta Mensal do Mercado de Trabalho Formal do mês de setembro de 2018, para os municípios de abrangência da UCS.

Em Bento Gonçalves, o período encerrou com saldo positivo de 116 vagas, um acréscimo de 0,29% sobre o total de empregos formais. O RS ficou praticamente estagnado, com acréscimo de 0,05%, enquanto o mercado no brasil cresceu 0,36%

A indústria de transformação e o setor de serviços seguem gerando empregos em Bento Gonçalves, enquanto o comércio e o extrativo mineral seguem em queda.

395f4011-bc65-4c63-8545-049a50b0b256

No mês de setembro foram abertos 116 postos de trabalho em Bento Gonçalves, um acréscimo de 0,29% sobre o total de empregos formais. Nesse período, os setores que mais abriram postos de trabalho foram o da Indústria de Transformação, com 99 Vagas abertas, seguido pelos Serviços, Com 34 Vínculos criados.

Os únicos setores que fecharam postos de trabalho foram o do Comércio e o da Extrativa Mineral, Com 17 e 3 Vínculos encerrados, respectivamente. O Saldo acumulado no ano é de 1.077 Vagas abertas. Nos últimos 12 Meses foram abertos 734 postos de trabalho no município, um acréscimo de 1,90%.

Nesse mesmo período, os setores que mais criaram postos de trabalho foram o da Indústria de Transformação, com 224 novas vagas, seguido pelo Comércio, com 200 novos vínculos. Os únicos setores que fecharam postos de trabalho foram o da Agropecuária e o da Extrativa Mineral, Com 28 e 21 Vínculos encerrados, respectivamente. O setor que obteve maior crescimento relativo no período foi o da Construção Civil, Com um acréscimo de 10,45%.

EVOLUÇÃO DO EMPREGO NO RIO GRANDE DO SUL
Evolução do emprego por setor de atividade econômica em Setembro de 2018 no Rio Grande do Sul.
9c3c7bb7-7e8f-4a76-b36e-d62ffecd71b6
EVOLUÇÃO DO EMPREGO NO BRASIL
Evolução do emprego por setor de atividade econômica em Setembro de 2018 no Brasil
5c07d5e7-7a86-4015-b9d6-6b9ad18cf0af
Fonte: Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul
Foto: Jéferson Soldi/arquivo