Índice de reprovação para CNH tipo B em Bento, em 2016, é de 67%

O índice de reprovação para confecção da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), tipo B (carros) em Bento Gonçalves, no ano de 2016, foi de 67,3%. Isto representa que mais pessoas não conseguiram tirar a Habilitação comparando com o ano de 2015, quando o índice ficou em 63%. A média do Rio Grande do Sul de 2014 a 2016, de aprovação, é de 75%, contudo, só no ano passado até agosto as reprovações para categoria tipo B chegavam a 69%.

A instrutora de trânsito, que ministra aulas teóricas no CFC Puma, em Bento, Angélica Pano, opinou sobre o tema em entrevista para Rádio Difusora.

Para a baixa aprovação, Pano entende que “um dos fatores que temos visto acontecer é o nervosismo, o candidato fica preparado para a prova, fazendo simulados com o seu instrutor e passa sem pontuação negativa. No momento que é acompanhado pelo examinador, fica com o nervosismo muito em alta, tendo a reprovação”, afirmou.

Outro ponto observado é a geografia do município. “Uma das situações é a questão dos aclives. Temos cidades aqui perto com índices de aprovação elevado, com retas, onde os alunos não se vem nesta situação”, acrescentou.

Em três anos, de 2014 a 2016, o índice de aprovação caiu 3% (de 35,19% para 32,74%) na confecção da CNH tipo B. Os números foram divulgados pelo Detran e enviados para a Difusora.

Nas provas teóricas impressas o índice de aprovação em 2016 ficou em apenas 43%. Porém, trata-se de uma porcentagem maior que nos últimos dois anos, já que em 2014 ficou em 22% e 2015 em 14%.

Nas teóricas eletrônicas o índice de aprovação é maior, atingindo 86%.

Para a confecção da CNH é necessário participar de 45 horas aula teóricas, além das práticas, até a realização de exames práticos e teóricos.

 

Confira os números da Serra Gaúcha:

 

Veja em Bento, Caxias do Sul, Farroupilha e Garibaldi:

 

A reportagem buscou a assessoria de imprensa do Detran para a realização de uma entrevista com o órgão sobre os números, o que não foi possível até o fechamento desta reportagem.

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora com informações do Detran