Expectativa é de que o período de frio movimente setores ligados ao Turismo em Bento

spa

Para os meses de inverno, hotéis de Bento Gonçalves têm a expectativa de acréscimo na taxa de ocupação ou de manutenção dos números registrados no ano passado. Além das baixas temperaturas que atraem turistas para a Serra Gaúcha, eventos na região devem incrementar os negócios que estão ligados a este ramo no período de frio. Feriados e férias escolares também devem ser desencadeadores de uma maior movimentação, conforme o Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH).

De acordo com o presidente da entidade, João Laidens, a expectativa é sempre de um acréscimo na procura pela região para o turismo em função também de investimentos que ocorrem ano após ano. “Não adiantaria eu dizer que a gente espera 10 ou 20 ou 5, mas a gente espera que um crescimento em relação ao ano passado”, ressalta, ao mencionar a abertura de novos estabelecimentos e trabalhos desenvolvidos no que se refere aos roteiros turísticos.

No hotel onde Ismael Cichelero é subgerente, nos meses de junho e julho a ocupação ultrapassa os 70%, sendo o maior fluxo de hóspedes no inverno. Para esse ano, a expectativa é superar esta média, com um acréscimo entre 8% e 10%. “Estamos fazendo nossas divulgações e estamos em busca desse bom resultado”, afirma. Para atrair cada vez mais hóspedes, um dos investimentos no local é no bom atendimento. Além disso, para que seja possível saber como está o andamento dos trabalhos no estabelecimento, um grupo se reúne semanalmente, em busca da satisfação dos clientes.

A expectativa é de manutenção da mesma média de ocupação se for feita uma comparação com a época do ano passado no hotel onde Soraia da Veiga é gerente. O momento de retração econômica é levado em consideração ao se planejar o ideal que é o crescimento. A movimentação maior é registrada  pelos turistas, sendo percebido, de acordo com ela, a retração no que se refere à estada de executivos. No mês de julho, em função de um evento na região, há finais de semana em que há quase ocupação total.

“No ano passado, a gente percebeu que nós não tínhamos mais aquele turista que vinha durante a semana, a gente recebia muito turista sem reserva, as famílias, e a gente observou que isso vem decaindo”, afirma. Conforme Soraia, o frio contribui com um número maior de turistas, mas geralmente é um público que ocupa a hotelaria em finais de semana.

Foto: Arquivo Difusora