Hospital Geral da UCS oferece exame oncogenético a pacientes selecionadas em tratamento na UNACON

CLA_1835

A Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON) do Hospital Geral realiza, de forma pioneira, para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) da região, a avaliação oncogenética. Essa avaliação – com o oncogeneticista e a realização de exames – é oferecida a pacientes do HG com indicação clínica.

Serão beneficiados com o exame, segundo a médica oncologista Janaina Brollo, “as pacientes que tiveram diagnóstico de câncer de mama inicial tratadas na UNACON com idade menor a 35 anos e apresentarem histórico familiar da doença: um familiar, em primeiro grau, com câncer de mama ou ovário, ou dois familiares em 2º grau”. De acordo com a médica, a população que apresenta essas características possui maior risco de ter uma síndrome hereditária.

O exame começou a ser indicado no HG em 1º de julho deste ano e a primeira paciente que se encaixou neste perfil foi diagnosticada no início desse mês. Ela passará pela avaliação de oncogenética no dia 13 de dezembro. Os médicos residentes em formação em oncologia e mastologia terão a oportunidade de acompanhar a avaliação. O exame será realizado pelo médico geneticista André dos Anjos.

De acordo com a coordenadora médica da UNACON, Rita Costamilan, o exame possibilitará aos pacientes oncológicos atendidos pela oncologia do HG, com indicação, detectar mutações herdadas geneticamente, que fazem com que o paciente desenvolva neoplasias em idade precoce. A detecção dessa mutação pode mudar a conduta cirúrgica, como a mastectomia bilateral (cirurgia nas duas mamas) e o acompanhamento e o rastreamento de outras neoplasias.

As discussões sobre o exame oncogenético tiveram maior repercussão desde o caso da atriz Angelina Jolie, que realizou uma dupla mastectomia. A mãe da atriz faleceu em 2007 devido a um câncer de mama causado pela alteração de um gene chamado BRCA1. As características hereditárias da doença de sua mãe colocaram Jolie dentro de um grupo de risco, no qual ela teria 87% de chances de desenvolver um câncer de mama e 50% de ter um câncer no ovário. Ao procurar o serviço de oncogenética, ela optou por realizar a cirurgia.

O HG conseguiu viabilizar o exame oncogenético a partir de projeto idealizado pelos médicos Janaina Brollo e Maximiliano Kneubile, desenvolvido por meio do Banco de Perucas, na Campanha do Outubro Rosa do ano de 2017, quando foram promovidas uma série de ações para reunir recursos financeiros para a disponibilização do exame. Ainda contou com o apoio do Grupo Amigas de Peito e Alma, Maria Santa Acessórios, Cecan e Laboratório Diagnose.

Foto: Claudia Velho

Fonte: UCS