Governo do Estado busca apoio do Ministério da Saúde para compra de medicamentos em falta no RS

Soluções para a falta de remédios utilizados para intubação pautaram a videoconferência da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 da Câmara dos Deputados realizada nesta segunda-feira (13/7), com a participação da secretária da Saúde, Arita Bergmann, do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, da bancada federal gaúcha e de deputados estaduais. “Nossa maior preocupação neste momento é resolver o desabastecimento de remédios necessários à intubação dos pacientes mais graves da Covid-19”, disse Arita.

“Estruturamos a rede assistencial do Estado para que os gaúchos tenham todo o cuidado necessário para enfrentar e se recuperar da doença, mas não conseguiremos vencer o coronavírus sem esses medicamentos”, afirmou Arita, pedindo o auxílio das representações políticas em Brasília. Em paralelo, está em andamento uma compra internacional dos remédios junto ao Ministério da Saúde Pública do Uruguai.

A secretária agradeceu o apoio do Ministério da Saúde e dos parlamentares por auxiliarem o Estado a enfrentar a epidemia por meio de recursos financeiros, habilitação de leitos de unidade de tratamento intensivo (UTI) e envios de respiradores, entre outras ações. Pazuello prometeu visitar o Rio Grande do Sul nas próximas semanas, para auxiliar pessoalmente nas dificuldades demandadas pela epidemia da Covid-19.

O presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Filantrópicos e Religiosos do Rio Grande do Sul, André Lagemann, falou que é muito positiva a iniciativa do governo do Estado em auxiliar os hospitais a realizarem a compra desses medicamentos, que são de responsabilidade de aquisição dos próprios hospitais. “Temos uma grande parceria com a Secretaria da Saúde”, elogiou.

Entre as outras pautas discutidas, estiveram os pedidos de habilitação de novos leitos de UTI adulto pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A expectativa é alcançar um aumento de mais de 100% em relação ao total disponível no início da epidemia no Estado, passando de 933 para 1.909. Nesta segunda-feira, o Estado já conta com 1.630 leitos de UTI adulto por meio do SUS.

A secretária-adjunta, Aglaé Regina da Silva, ressaltou que o Estado trabalha para aumentar a quantidade de testes diagnósticos RT-PCR da Covid-19, pois esta é uma importante ação para combater o coronavírus. Ela pediu apoio para que mais testes sejam enviados ao Rio Grande do Sul.

A Secretaria da Saúde também está trabalhando para monitorar os recursos humanos que trabalham na linha de frente da epidemia nas UTIs. “Não adianta termos os equipamentos e ampliarmos sem planejamento o número de leitos. Precisamos ter certeza de que há mão de obra qualificada para trabalhar nos hospitais”, destacou a diretora do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial, Lisiane Fagundes, em resposta a questionamento dos deputados.

O secretário de Atenção Especializada à Saúde do ministério, coronel Franco Duarte, salientou a importância da busca por tratamento precoce da Covid-19, sem que a doença se agrave para pneumonia e seja necessária a internação em leito de UTI.

“A luta pela preservação da vida não pode ter ideologia, nem raça e nem gênero”, disse Arita.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom