FIERGS vê manutenção da taxa Selic em 2% como medida de cautela até mercados se organizarem

Presidente Gilberto Porcello Petry avalia a decisão do Copom

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, nessa quarta-feira (20), de manter a taxa Selic em 2%, se justifica, segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS). “A aceleração nos preços no segundo semestre de 2020 levou a inflação fechar acima da meta, devido à desorganização das cadeias produtivas e a maior demanda por alimentos, ambos reflexos da pandemia”, explica o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

Porém, de acordo com o presidente da FIERGS, com expectativa de normalização no fornecimento de insumos, a pressão inflacionária pelo lado da oferta tende a diminuir em 2021 e, do mesmo modo, a retirada dos estímulos fiscais contribui para desaquecer a demanda. “A manutenção da Selic é certeira, ao dar mais tempo para os mercados se organizarem”, diz.

Fonte: Unidade de Comunicação do Sistema FIERGS