FGTAS economizou cerca de R$ 685 mil em 2019, aponta relatório do GSC

A Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) economizou R$ 685.812,95 em 2019 em comparação a 2018, de acordo com um relatório elaborado pelo Grupo Setorial de Custos (GSC) da instituição. Entre os itens que apresentaram redução de gastos no período estão passagens aéreas (economia de 55% ou R$ 20.856,69), água (economia de 50% ou R$ 313.621,15), locação de imóveis (economia de 32% ou R$ 442.088,31) e telefonia móvel (economia de 29% ou R$ 4.048,99).

De acordo com o diretor-presidente da FGTAS, Rogério Grade, “o relatório evidencia o esforço operacional para instituir uma cultura de análise de custos na Fundação, com vistas a melhor qualificação da gestão, redução dos custos e aumento da produtividade para as 153 unidades de atendimento em 149 municípios do Estado”.

A coordenadora do GSC, Luciana Anversa, ressalta que “temos buscado atuar na gestão dos custos da FGTAS e obter resultados eficazes na nossa produtividade e na qualidade dos nossos serviços”. De acordo com ela, vincular todo o corpo funcional à conscientização da importância da gestão dos custos na instituição é uma meta para o GSC, para os coordenadores de áreas e para a direção da FGTAS. “O que mais nos satisfaz, mesmo havendo períodos extremamente difíceis, é mantermos as atividades oferecidas à população em nossas unidades do Estado, que em 2019 totalizaram 1.262.499 atendimentos”, acrescentou.

Para 2020, o Grupo sugere a execução de alguns projetos:
• Continuar as negociações com proprietários de imóveis para revisão dos valores locatícios e manter os estudos do mercado imobiliário nos municípios para realização da gestão das locações
• Manter e desenvolver ações de orientação de uso e responsabilidade no consumo de água, energia elétrica, telefonia, das postagens nos Correios e uso dos veículos da frota
• Propor parcerias com os municípios a fim de que esses passem a disponibilizar espaços, eventualmente ociosos, para abrigar as instalações das Agências FGTAS/Sine por meio de Termos de Cooperação Técnica com as prefeituras
• Implantar a Nota Fiscal Eletrônica para os artesãos e informatizar a emissão da Carteira do Artesão
• Cumprir as metas de produtividade referente aos Programas da FGTAS, aprimorando a qualidade técnica no atendimento à população.

Grupo Setorial de Custos

O Decreto Estadual nº 49.766/2012, instituiu, no âmbito da Administração Pública Estadual, o Sistema de Informações de Custos do Estado do Rio Grande do Sul – Custos/RS. As competências dos Grupos Setoriais de Custos foram elencadas no art. 5º do referido decreto e envolvem atividades tais como prestar apoio técnico aos seus respectivos Órgãos ou Entidades; elaborar estudos e propor melhorias nos processos administrativos e de Tecnologia da Informação, com vista ao aperfeiçoamento dos processos informatizados do Custos/RS e da usabilidade das informações de custos; e subsidiar os gestores dos seus respectivos Órgãos ou Entidades com informações, a fim de apoiá-los no processo decisório.

Ao todo, o Grupo da FGTAS é composto por nove servidores, conforme designação do diretor-presidente por meio da Portaria nº 33/2016, alterada pelas Portarias nº 16/2017, nº 36/2017 e nº 48/2018: Luciana Nanci Anversa, Jaqueline Cristiane dos Santos, Luciana Beatriz da Costa Pereira, Rogério Moreira Anesi, Ândria Sampaio Ortiz, Joanete Inês Lorenzon, Cléber Daniel Ferrari, Rita Fabiane de Paula Avila e Denis da Silva Costa.

FGTAS

A FGTAS é a instituição executora das políticas públicas de trabalho, emprego e desenvolvimento social do RS. Está vinculada à Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Stas) e é responsável pelo desenvolvimento do Sistema Nacional de Emprego no RS, do Programa Gaúcho de Artesanato e do Vida Centro Humanístico.

Texto: Jaíne Martins/Ascom FGTAS
Edição: Secom