FCDL-RS defende continuidade de redução da taxa básica de juros no país

FCDL

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, avalia como positivo o corte de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros da economia brasileira, realizado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Com isso, a Selic passou de 13,75% para 13% ao ano e existe, segundo especialistas, a possibilidade de sofrer novas reduções nos próximos meses.

– Felizmente, as autoridades monetárias do país começam a entender que a situação econômica brasileira não permite mais decisões pautadas pela inércia. Ou seja, diante do quadro desesperador de queda da produção, do consumo e emprego, não há mais espaço para não fazer nada ou viver um faz de conta – ressalta Vitor Augusto Koch.

Para o presidente da FCDL-RS é importante que o Banco Central siga reduzindo os juros básicos brasileiros, quem sabe chegando a 7,75% ao ano, o que ainda seria elevado para os padrões mundiais, mas bem mais razoável para um Brasil que não quer e não pode mais esperar pelo decisivo combate a uma crise econômica causada unicamente pela deficiência da gestão pública federal.

– Agora, para complementar esta nova e melhor diretriz de política monetária, o Banco Central deve implementar regulamentações que facilitem a queda dos juros efetivos para investimentos e consumo, na direção apontada pelo governo Temer no final do ano passado – enfatiza o presidente da FCDL-RS.

Na avaliação de Vitor Augusto Koch, não existem, atualmente, condições para manter a taxa Selic em um patamar elevado, uma vez que juros altos prejudicam a atividade econômica, inibindo a geração de empregos. Os cortes na Selic podem favorecer a retomada do crescimento da economia brasileira, pois possibilita o barateamento do crédito e, consequentemente, incentive o consumo de bens e serviços no país.

Fonte: FCDL